Daniel Teixeira / Estadão
Daniel Teixeira / Estadão

Onde moram os candidatos à Prefeitura de São Paulo

Os postulantes a prefeito da capital paulista contam quais são os bairros onde residem e qual é a relação deles com as regiões onde vivem

Diego Kerber, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2020 | 18h02

Segundo a legislação eleitoral, o cidadão que pretende se candidatar a um cargo eletivo precisa, entre outros requisitos, ter domicílio eleitoral há no mínimo seis meses na região em que pretende se candidatar. Para as eleições municipais de 2020, isso significa morar na cidade na qual quer concorrer.

Mas, afinal, quais são as regiões onde vivem os candidatos a prefeito de São Paulo? Como é a convivência deles com a população local? Qual é a relação deles com o bairro em si? Como isso pode afetar os planos de governo de cada um?

O Estadão entrou em contato com cada campanha  para descobrir onde moram todos os nomes na disputa municipal. Até a publicação desta matéria, a assessoria do candidato Celso Russomanno (Republicanos) não tinha respondido as perguntas da reportagem. Felipe Sabará, que era o candidato pelo Partido Novo, teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral.

Veja as respostas dos candidatos abaixo:

Andrea Matarazzo (PSD) - Morumbi

O empresário e candidato do PSD à Prefeitura Andrea Matarazzo mora há 31 anos no Morumbi, desde que se casou. Ele diz ser feliz no bairro e poder vivenciar o progresso e a evolução da região durante mais de três décadas. “No Morumbi moro desde que me casei. Eu gosto muito de lá, vi o bairro crescer e se desenvolver durante todos estes anos”, afirma ele.

No entanto, a ligação com a região é mais profunda. “Além de morar na vida adulta no Morumbi, tenho também uma ligação histórica com o bairro”, explica ele. Segundo o candidato, boa parte dos terrenos do Morumbi pertencia à família Matarazzo.

Um exemplo de construção feita pelas Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo (IRFM) é a sede do governo estadual, o Palácio dos Bandeirantes, que fica na Avenida Morumbi. O prédio foi encomendado pelo arquiteto Marcello Piacentini e, a princípio, seria o edifício da Universidade Francesco Matarazzo, mas um impedimento à época fez a família desistir do projeto e vendê-lo ao governo.

Antonio Carlos (PCO) - Vila Santo Estefano

Candidato do PCO, o professor Antonio Carlos vive na Vila Santo Estefano há 5 anos, onde trabalha na Escola Estadual do Bairro. Na mesma região, da Saúde, fica a sede do PCO, onde atua regularmente na direção do Partido, programas de TV, entre outros.

A relação dele com a região tem muito a ver com o seu engajamento com comunidade local. Atuou junto com o movimento comunitário contra o fechamento da Escola e participa de lutas e atividades comunitárias da região.

Arthur do Val ‘Mamãe Falei’ (Patriota) - Água Rasa

O youtuber Arthur do Val, candidato do Patriota sempre morou na Zona Leste de São Paulo. Inclusive, segundo ele, quase toda a sua família mora ainda na região. Durante a infância, do Val morou em Vila Carrão, mas depois se mudou para Água Rasa. “Água Rasa, Vila Carrão, Tatuapé, Mooca, Vila Prudente, Belenzinho, foram regiões que eu sempre frequentei. Eu sempre fui muito rueiro. Minha infância e meu crescimento foram ali”, explica ele.

O deputado diz que já era muito conhecido no bairro onde morava, antes mesmo de criar seu canal no YouTube, o “Mamãe Falei”. Pelo fato de passar grande parte do tempo na rua, conheceu jovens que estudavam em várias escolas da região, tanto públicas quanto privadas, além de sempre frequentar outros estabelecimentos locais, como escolas de línguas, academias e restaurantes.

“Eu não tenho o hábito de cozinhar, eu costumo comer fora, então sempre utilizo muito o serviço de restaurantes da região presencialmente”, explica.

Bruno Covas (PSDB) - Barra Funda

O prefeito candidato à reeleição, Bruno Covas, mora na Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, há três anos. Ele diz gostar da região por ser próxima da sede da Prefeitura, o que lhe permite chegar rápido ao trabalho. 

Ele também também gosta do bairro por estar próximo à estação do Metrô Barra Funda e de locais culturais e esportivos como o Memorial da América Latina e o estádio do Pacaembu. “Quando quero levar meu filho para assistir ao jogo do Santos no Pacaembu, fica pertinho de casa”, diz. Ele mora com o filho Thomás, de 14 anos, em um apartamento alugado de 70 m².

Guilherme Boulos (PSOL) - Campo Limpo

Como já tinha revelado durante o debate entre candidatos à Prefeitura realizado pela TV Band, o líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e postulante do PSOL Guilherme Boulos mora em Campo Limpo. Segundo ele, a relação com o bairro tem muito a ver com o perfil da região.

“A periferia ainda preserva uma coisa que se perdeu no nos bairros mais centrais da cidade, que é essa coisa de uma dinâmica comunitária, um espaço de convivência, de enraizamento”, afirma ele. Ele diz que frequenta bastante o comércio local, como a feira de domingo, o bar local, a padaria do bairro, o cabeleireiro, entre outros. Ele também destaca a boa relação que tem com os vizinhos de rua.

Boulos falou ainda da sua liderança em movimentos sociais na região. “Já participei de muitas lutas no bairro onde eu moro, pedindo, por exemplo, a punição dos responsáveis da chacina do Jardim Rosana, há uns 6 ou 7 anos. Lutei pela regularização da comunidade, contra despejo no Parque Ipê, por creche, por equipamento de Cultura.”

Jilmar Tatto (PT) - Vila Mariana

O candidato do Partido dos Trabalhadores Jilmar Tatto vive na Vila Mariana. Segundo ele, a escolha do bairro foi decidida, em grande parte, pelo fato de ter sido eleito deputado federal.

“Quando me mudei para Vila Mariana, foi bem na época em que me tornei deputado federal. Meus filhos estudavam em um colégio católico da região e eu precisava me deslocar até o aeroporto várias vezes na semana, então acabou juntando esses dois fatores”, explica ele. Tatto afirma que gosta da região e a considera agradável.

Joice Hasselmann (PSL) - Santa Cecília

A deputada federal Joice Hasselmann, candidata do PSL à Prefeitura, mora no bairro de Santa Cecília, “já pertinho do centro da cidade”, como disse ela. Joice explica que os lugares que mais gosta na capital paulista são lugares “que têm muito verde”, principalmente os parques.

“Gosto da forma como o paulistano utiliza os parques para lazer e encontro entre as famílias não apenas de final de semana, mas também de dia de semana. Então os parques falam alto aí ao meu coração”, pontua ela.

Levy Fidelix (PRTB) - Campo Belo

Levy Fidelix, presidente do PRTB, mora em Campo Belo há vários anos, segundo sua assessoria. Na visão dele, é um bairro bem localizado e oferece estrutura adequada, seja pela questão viária e de deslocamento, seja pelo comércio local, que garante o seu suporte do dia a dia, como padarias, supermercados, bancos, entre outros.

Segundo a assessoria, o bairro, considerado de padrão de classe média alta, oferece tudo que o candidato entende como importante.

Márcio França (PSB) - Vila Mariana

O ex-governador de São Paulo, Márcio França, mora na Vila Mariana com a esposa. Ele diz que se identifica com o bairro pelo jeito familiar da região.“Cheio de árvores frutíferas, ótimas pizzarias, uma vistosa feira livre, maritacas, bares e restaurantes acolhedores.”

França também destaca o fator acolhedor do bairro. “A Vila Mariana é uma região que acolhe bem pessoas que buscam seus sonhos em São Paulo, além de estar repleta de belos ícones paulistanos, como o nosso Parque do Ibirapuera e a Cinemateca.”

Marina Helou (Rede) - Vila Beatriz

A deputada estadual Marina Helou mora na Vila Beatriz, Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. Na visão dela, o bairro é um exemplo do que deveria acontecer em toda a cidade. “Morar aqui é ter a certeza do que eu quero e vou construir para todas as pessoas em São Paulo terem as mesmas oportunidades. Viver perto de transporte público de qualidade, com acesso a equipamentos de cultura e lazer, muito verde e parques.”

Para a candidata, ter uma mobilidade ativa nas proximidades é fundamental. “Gosto de ter a experiência de ver os meus filhos brincando na rua, ao mesmo tempo que eu posso fazer as coisas a pé, perto da minha casa. É o que eu quero para toda a cidade.”

Orlando Silva (PCdoB) - Saúde

O ex-ministro do Esporte e candidato do PCdoB Orlando Silva mora há um ano no bairro da Saúde, mas ainda não teve tanta oportunidade de se relacionar mais profundamente com a região. Isso porque mais da metade do tempo em que mora ali se passou durante a pandemia do novo coronavírus e a quarentena.

“A pandemia impediu que, nesse período, nós pudéssemos ter uma vida mais intensa no bairro. A minha relação se restringe hoje a necessidades essenciais no comércio local, em que nós temos uma aproximação, e os vizinhos mais próximos”, afirma ele. Silva ainda destaca que se relaciona melhor com os vizinhos que gostam de cachorros. “Eu tenho um que chama a atenção de todo mundo e a nossa circulação ali pela rua acaba atraindo muito interesse e produz amizades.”

Vera Lúcia (PSTU) - Ipiranga

A candidata do PSTU Vera Lúcia mora há dois anos e oito meses no bairro do Ipiranga em uma casa compartilhada. “É uma casa dividida por duas famílias, para que possamos garantir o pagamento do aluguel e viver num local que facilita as nossas idas e volta ao trabalho.”

Vera Lúcia diz que se relaciona bastante com vizinhos e os trabalhadores do comércio local, desde feirantes até funcionários da mercearia, da padaria, do açougue, da oficina de automóveis, entre outros. “Coisa normal e de gente conversadeira, uma das características de nordestinos”, diz ela.

Com a pandemia, porém, esse relacionamento mais próximo acabou sendo dificultado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.