Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Quem é Levy Fidelix? Conheça o candidato do PRTB à Prefeitura de São Paulo

Fundador e presidente nacional do PRTB ficou conhecido como “candidato do aerotrem” e já concorreu em várias eleições sem sucesso, incluindo a Presidente da República

Diego Kerber, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2020 | 20h34

Nas eleições municipais de 2020 em São Paulo, o partido do vice-presidente General Hamilton Mourão, o PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), também terá seu representante. Seu candidato será o fundador e presidente nacional da sigla, Levy Fidelix.

Mais conhecido como “candidato do Aerotrem”, Fidelix começou sua carreira política em 1986, quando fundou o PL (Partido Liberal) e disputou as eleições para deputado federal por São Paulo. Antes disso, Fidelix foi jornalista e publicitário.

Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Fidelix fundou uma agência de publicidade e atuou como diretor de criação em outras duas. Como jornalista escreveu para os jornais Correio da Manhã e Última Hora, fundou três revistas e, durante dois anos, foi âncora de um programa sobre informática na TV Bandeirantes e no SBT. Ele também trabalhou na área governamental antes de começar a carreira política para elaborar um boletim nacional de agricultura.

Para a eleição municipal deste ano, o presidente do PRTB se apresenta mais uma vez como defensor da família, da pátria e dos valores conservadores. O fato de presidir a legenda do atual vice-presidente também corrobora com seu discurso, que apela para o eleitorado bolsonarista. No entanto, Fidelix não recebeu apoio formal do presidente Jair Bolsonaro, que se decidiu pelo candidato do Republicanos, Celso Russomanno, para a disputar a capital paulista.

Para Entender

Veja propostas de Levy Fidelix

Confira quais são os principais pontos do plano de governo do candidato do PRTB para a Prefeitura de São Paulo nas áreas da Saúde, Educação, Transporte, Segurança, Meio Ambiente e Habitação

Na última pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão, o candidato do PRTB aparece com 1% das intenções de voto. 

Carreira política de várias candidaturas

Apesar de completar, em 2020, 34 anos na Política, Levy Fidelix nunca foi eleito para nenhum cargo eletivo, mesmo tendo concorrido em 13 pleitos no total. Ele recebeu votações irrisórias tanto em 1986, quando disputou para deputado federal pelo PL, quanto em 1989, quando mudou-se para o PTR (Partido Trabalhista Renovador) e concorreu ao mesmo cargo.

Entre 1992 e 1994, Fidelix fundou o PRTB para se candidatar a presidente da República, mas acabou com o registro barrado por conta da legislação eleitoral. Em 1996 decidiu postular à Prefeitura da capital paulista pela primeira vez. Foi nesse pleito em que apresentou pela primeira vez a famosa proposta do Aerotrem, um trem de alta velocidade que, segundo ele, seria a solução para o problema de mobilidade urbana em São Paulo. No entanto, não conseguiu nem 0,1% dos votos na ocasião.

Em 1998, voltou à campanha, desta vez para governador do Estado de São Paulo, ficando também abaixo dos o,1%. Em 2000, abandonou a cabeça de chapa e entrou como vice-prefeito de Fernando Collor de Mello, de quem já tinha sido assessor de comunicação na campanha entre 1989 e 1990. A candidatura, no entanto, teve o registro negado antes mesmo da eleição.

Em 2002, voltou a disputar o governo estadual, sendo derrotado com menos de 1% dos votos válidos. O mesmo aconteceu em 2004, quando se candidatou a vereador na capital paulista, e em 2006, quando tentou o cargo de deputado federal. A última vez que concorreu à Prefeitura de São Paulo foi em 2008, quando recebeu pouco mais de 5,5 mil votos.

Desde então, participou da corrida presidencial nas eleições gerais de 2010 e 2014. Nesta última ficou conhecido por suas participações nos debates entre candidatos transmitidos pela TV, que, em vários momentos, renderam declarações polêmicas, principalmente falas de cunho homofóbico. Também foi o pleito em que teve sua votação mais expressiva, recebendo mais de 440 mil votos, o equivalente a 0,43% dos votos válidos. Sua última participação em eleições foi em 2018, quando foi candidato a deputado federal por São Paulo e também não foi eleito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.