Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Filipe Sabará tem candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral

Expulso do Partido Novo durante a campanha, candidato à Prefeitura de São Paulo viu sua vice renunciar à candidatura no sábado, 24

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2020 | 07h27

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) indeferiu a candidatura de Filipe Sabará à Prefeitura de São Paulo. Expulso do Partido Novo por inconsistências no currículo e na declaração de patrimônio, Sabará teve a candidatura indeferida neste domingo, 25, após a Justiça acatar o pedido movido pelo partido.

No sábado, 24, o Novo apresentou um ofício para confirmar a renúncia da candidata à vice na chapa de Sabará, a economista Maria Helena. No mesmo documento, o partido informa que não vai indicar um novo candidato a vice, solicitando a exclusão da chapa do processo eleitoral.

"Embora ainda no período previsto para substituição de candidatos, o Diretório Municipal de São Paulo deliberou pela não substituição, com a consequente extinção dos pedidos de registro, em cumprimento a todas as normas de regência", diz um trecho do pedido movido pelo Novo.

Filipe Sabará se manifestou na manhã desta segunda-feira, 26. Por meio de nota, o candidato afirmou que foi expulso do partido por "não aceitar ser obrigado a pensar" como João Amoedo e que não há inconsistências em seu currículo. "Cabe recurso novamente e estamos avaliando a melhor decisão a ser tomada pois sem a vice que escolhi as coisas mudam bastante de figura", afirmou Sabará (leia a íntegra da nota do candidato no fim da matéria).

Apesar do indeferimento da candidatura, a propaganda de Sabará no horário eleitoral gratuito foi ao ar normalmente no rádio na manhã desta segunda-feira, 26.

Para Entender

Quem é Filipe Sabará? Conheça o candidato do Novo à Prefeitura de SP

Empresário de 37 anos que já foi auxiliar de João Doria em duas gestões concorre em meio a disputa com seu próprio partido

A candidatura de Sabará foi marcada por atritos com o partido que o lançou, o Novo. O candidato chegou a ser impedido pela sigla de fazer campanha, em setembro. O processo de desgaste entre o candidato e o partido culminou com a sua expulsão na última quarta-feira, 21, após decisão da Comissão de Ética. A expulsão de Sabará ocorreu horas depois do candidato criticar a cúpula do partido, durante a sabatina do Estadão.

Ele acusou a legenda de não repassar R$ 600 mil em doações feitas durante o período de pré-campanha e afirmou que a comissão de ética é comandada pelo ex-candidato a presidente João Amoêdo – e criticou o que chamou de 'caciquismo' no partido. 

"Gosto muito do Novo, do seu estatuto. O que não concordo é com 'caciquismo'. Quando você discorda do João Amoêdo, pessoas vem de perseguir", afirmou o então candidato na sabatina.

Para Entender

Veja propostas de Filipe Sabará

Confira quais são os principais pontos do plano de governo do candidato do Novo para a Prefeitura de São Paulo nas áreas da Saúde, Educação, Emprego, Transporte, Segurança, Meio Ambiente e Habitação

Na quinta-feira, 22,  o Novo entregou ao TRE o ofício confirmando a expulsão do candidato. No sábado, 24, o partido ingressou com o ofício informando a renúncia da vice e o pedido de indeferimento da chapa. Na certidão que alterou o Requerimento de Registro de Candidatura de Sabará para "indeferido", a justiça eleitoral aponta a decisão que homologou a renúncia da vice.

Integrantes da legenda também haviam ficado insatisfeitos com o fato de Sabará dizer, em um programa de rádio que Paulo Maluf (Progressistas) foi o melhor prefeito que São Paulo teve.

Leia a nota de Filipe Sabará sobre o indeferimento de sua candidatura

"Fui expulso do Partido “novo”, por não aceitar ser obrigado a pensar como um dos fundadores, João Amoedo, que ataca o Presidente Bolsonaro o tempo todo (no Twitter) e defendi as boas ações do Gov. Federal, sempre que entendi que deveria.

Não há inconsistências em meu Currículo, pelo contrário, passei a juventude estudando, me capacitando e trabalhando muito para construir ferramentas que promovem oportunidades reais para as pessoas que mais precisam. 

Entregamos muito e milhares de pessoas tem sido beneficiadas.

Recorremos à justiça e vencemos, mas após a desistência de concorrer por parte da nossa vice, a justiça eleitoral indeferiu nossa candidatura.

Cabe recurso novamente e estamos avaliando a melhor decisão a ser tomada pois sem a vice que escolhi as coisas mudam bastante de figura.

De qualquer forma, nosso propósito de servir e promover oportunidades relevantes para quem mais precisa está mais vivo do que nunca! 

Se não for dessa vez, nem dessa forma, será com outras portas e alianças que Deus abrirá!

Seguimos firmes! Avançando sempre! 

Com Deus sempre!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.