Tiago Queiroz/Estadão - 16.09.2020
Tiago Queiroz/Estadão - 16.09.2020

Quem é Celso Russomanno? Conheça o candidato do Republicanos à Prefeitura de São Paulo

Alinhado a Bolsonaro, deputado federal por seis mandatos ganhou notoriedade na TV por defender direito do consumidor e tenta, pela terceira vez, se eleger como prefeito da capital

Mílibi Arruda, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2020 | 21h35

Nas eleições 2020, o deputado federal e jornalista Celso Russomanno é o candidato do partido Republicanos à Prefeitura de São Paulo. Na sua terceira tentativa de se tornar prefeito da maior cidade do Brasil, Russomanno tem como vice na chapa o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP) Marcos da Costa, do PTB.

A coligação com o partido comandado por Roberto Jefferson, aliado de Jair Bolsonaro, reforça o elo com o presidente da República. Antes, o candidato havia procurado o PSL e propôs convidar a deputada Joice Hasselmann para vice, mas a aliança foi rejeitada.

Neste mês, Bolsonaro fez seu primeiro aceno a Russomanno após a oficialização da candidatura.  O presidente republicou nas suas redes pessoais um vídeo em que o candidato rebate críticas do deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) sobre a alta do preço do arroz.  "Uma aula de humildade e conhecimento", o chefe do Executivo nacional elogiou Russomanno.

Para Entender

Veja propostas de Celso Russomanno

Confira quais são os principais pontos do plano de governo do candidato do Republicanos para a Prefeitura de São Paulo nas áreas da Saúde, Educação, Emprego, Transporte, Segurança, Meio Ambiente e Habitação

Na prática, o apoio do Bolsonaro pode tirar mais votos do que acrescentar, segundo os números da pesquisa Ibope/Associação Comercial de São Paulo.

Com 24% das intenções de voto, o candidato do Republicanos liderou a primeira pesquisa de público Ibope para as eleições 2020, divulgada no dia 20 de setembro. Ele é seguido pelo atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), com 18%.

Para Entender

Veja quem são os candidatos a prefeito de São Paulo nas eleições 2020

Conheça todos os nomes na corrida eleitoral pela Prefeitura de São Paulo, capital paulista

Apesar de largar como favorito nas pesquisas iniciais, Russomanno perdeu todas as eleições majoritárias que disputou até então. Para prefeito de São Paulo, concorreu em 2012 e 2016. Em 2000, disputou a prefeitura de Santo André. Tentou também o governo do Estado em 2010. Nas quatro ocasiões, perdeu em primeiro turno.

O candidato que ganhou notoriedade na televisão por pautas de direito do consumidor atingiu a segunda maior votação da história como deputado federal em 2014, com mais de 1,5 milhão de votos. Em 2018, foi reeleito. Ao todo, Russomanno já foi eleito à Câmara dos Deputados para seis mandatos – o primeiro se iniciou em 1995.

Do direito do consumidor aos memes

Nascido em 1956, na cidade de São Paulo, Russomanno é bacharel em Direito pela Faculdade de Guarulhos. No jornalismo, iniciou sua carreira na rádio, aos 30 anos. Mas só se especializou nas reportagens em que ganhou notoriedade, de direito ao consumidor, em 1991.

À época, no extinto programa Aqui Agora, do SBT, o jornalista defendia os consumidores prejudicados. Após, apresentou programas na Central Nacional de Televisão (CNT) e na TV Gazeta. Publicou, também, três livros sobre essa área. Atualmente, mantém o quadro Patrulha do Consumidor, na TV Record.

Em agosto deste ano, a atuação de Russomanno frente ao direito do consumidor gerou uma onda de memes nas redes sociais, colocando o deputado entre os assuntos mais comentados no Twitter e em alta nas buscas do Google. As imagens brincavam com reclamações absurdas referentes a produtos e pediam a ajuda do deputado para resolvê-las.

Carreira política

O PFL – hoje DEM – foi o primeiro partido político a que Russomanno se filiou, onde ficou de 1985 a 1994. O jornalista, então, se mudou para o PSDB e foi eleito para o primeiro de seis mandatos como deputado federal. Naquele ano, enquanto ainda era colunista do Aqui Agora, obteve a maior votação do Brasil dentre os eleitos para o cargo, com mais de 233 mil votos.

Na legislatura seguinte, mudou novamente de sigla – para o PPB, atual PP – e foi reeleito.  Em 2000, pelo mesmo partido, candidatou-se para prefeito de Santo André. Perdeu a disputa para Celso Daniel (PT).

Por conta da candidatura, Russomanno virou réu por falsidade ideológica no Supremo Tribunal Federal (STF) em 2012. Ele foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter simulado um contrato de imóvel para mudar seu domicílio eleitoral de forma a concorrer ao cargo no município do ABC paulista.

Em seus seis mandatos, presidiu a Comissão de Defesa do Consumidor (CDC) da Câmara duas vezes e foi autor de projetos de lei sobre o tema.  Em 2010, disputou o Governo de São Paulo pelo PP, quando ficou em terceiro lugar. Em 2012 e 2016, foi candidato à Prefeitura da capital pelo PRB. Nas ocasiões, apesar de liderar as primeiras pesquisas de intenção de voto, perdeu em primeiro turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.