Política

Política

Posse dos ministros de Bolsonaro: acompanhe a transmissão dos cargos em tempo real

Em cerimônia, ministros de Temer transferem seus cargos para equipe de governo de Bolsonaro

Um dia após a posse como 38º presidente da república do Brasil, Jair Bolsonaro participou da cerimônia de posse de alguns ministros, os que vão despachar de dentro do Palácio do PlanaltoOnyx Lorenzoni, da Casa Civil, Gustavo Bebianno (secretário-geral da Presidência) e os generais Carlos Alberto (Secretaria de Governo) e Augusto Heleno (Segurança Institucional).

 

Uma das posses mais aguardadas foi a de Sérgio Moro, o novo titular do Ministério da Justiça. O ex-juiz federal, que tornou-se conhecido em todo o País por conta da Lava Jato, quer aprovar ainda em fevereiro o projeto de lei anticrime ao qual tem se dedicado a produzir nos dias que antecederam o início do novo governo. Em seu discurso, ele defendeu leis contra a corrupção que reduzam "incentivos e oportunidades". 

 

Jair Bolsonaro tomou posse, na última terça-feira, dia 1º de janeiro, como presidente do Brasil sem abandonar o tom eleitoral do seu discurso. Nos pronunciamentos que fez no Congresso Nacional e no parlatório do Palácio do Planalto, ele reafirmou o compromisso com bandeiras de sua campanha, se dirigindo especialmente ao eleitorado que lhe garantiu mais de 57 milhões de votos em outubro do último ano. No Congresso, onde ele e o vice, general Hamilton Mourão, assinaram o termo de posse para o mandato até 2022, Bolsonaro chegou a brincar com parlamentares – “Estou casando com vocês” -, mas reiterou a retórica da antipolítica: disse que montou uma equipe “sem o tradicional viés político”.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 19h32

    02/01/2019

    Encerramos aqui a cobertura das transmissões de cargo para os ministros do novo governo. Agradecemos pela audiência. Boa noite. 

  • 19h32

    02/01/2019

    No primeiro dia de governo, 18 ministros de Jair Bolsonaro tomaram posse em seus novos cargos. 

     

    Nomes como Paulo Guedes, na Economia, Sérgio Moro, na Justiça e Cidadania, Ernesto Araújo, nas Relações Exteriores, e Damares Alves, nos Direitos Humanos, fizeram suas promessas e falaram sobre os desafios de suas pastas. 

     

     

     

  • 19h17

    02/01/2019

    É encerrada, neste momento, a transmissão do cargo de ministro das Relações Exteriores. 

  • 19h16

    02/01/2019

    Ernesto Araújo continua criticando o globalismo em sua fala. "A marcha do globalismo não é irreversível e vamos lutar contra ele". 

     

  • 19h15

    02/01/2019

    Em longo discurso, Ernesto Araújo afirmou que o Brasil terá no agronegócio o perfil mais elevado e mais engajado do que já teve. 

     

    "O Itamaraty não vai ser um órgão que fica só olhando". 

     

     

     

     

  • 19h13

    02/01/2019

    Ernesto Araújo diz que vai reorientar a atuação do Brasil nas organizações internacionais, como a ONU. 

     

    "O Itamaraty vai ser a casa de todos os brasileiros". 

  • 19h12

    02/01/2019

    Ernesto Aráujo diz que pretende ter escritórios comerciais nas embaixadas para que o Brasil ocupe novos mercados. A ideia é tirar o máximo potencial de cada relação internacional. 

  • 19h11

    02/01/2019

    Araújo diz que vai trabalhar para promover o comércio agrícola, o turismo, o desenvolvimento e a infraestrutura. 

  • 19h09

    02/01/2019

    "Vamos lutar para reverter o globalismo", diz Araújo. 

  • 19h09

    02/01/2019

    Ernesto Araújo critica fortemente o globalismo em seu discurso. Ele critica, também, a existência de uma suposta teofobia, o ódio a Deus, na sociedade brasileira. 

     

    "A luta pela nação é a mesma luta pela família, pela vida, pela humanidade". 

  • 19h01

    02/01/2019

    "Não vamos abrir os quadros do Itamaraty para pessoas fora da carreira. O presidente Bolsonaro confia plenamente na capacidade dessa casa e dessa carreira de implementar sua política". Segundo ele, a ideia é flexibilizar a ocupação de cargos. 

     

    "Para arejar a carreira, inclusive estimular nossos colegas a ocuparem esses cargos". 

  • 19h00

    02/01/2019

    "O Itamaraty existe para o Brasil, não para a ordem global", diz Ernesto Araújo

  • 18h59

    02/01/2019

    Ernesto Araújo diz que a política externa do Brasil foi se atrofiando ao longo dos últimos anos. 

  • 18h54

    02/01/2019

    Ernesto Araújo diz que pretende libertar o Itamaraty através da verdade. 

  • 18h53

    02/01/2019

    "Bolsonaro libertou o Brasil e eu vou libertar o Itamaraty", afirma Araújo. Segundo ele, só o amor salva e só o amor explica o Brasil. Ele cita o cantor Renato Russo em sua fala. 

     

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.