Bolsonaro quer anular ida de Marun para Itaipu

Bolsonaro quer anular ida de Marun para Itaipu

Coluna do Estadão

02 Janeiro 2019 | 05h00

Carlos Marun, ex-ministro de Temer FOTO: DIDA SAMPAIO/ ESTADAO

O presidente Jair Bolsonaro vai rever o ato de seu antecessor, Michel Temer, que nomeou no último dia do seu governo o ex-ministro Carlos Marun para o conselho da Itaipu Binacional, com mandato até 2020. Ontem pela manhã, antes de tomar posse, Bolsonaro disse a interlocutores que não gostou da atitude de Temer, tomada no apagar das luzes e que contraria sua decisão de nomear técnicos também no segundo escalão. O cargo garantiria a Marun, articulador político de Temer, salário de R$ 27 mil para participar de reuniões bimestrais.

Plano B. Marun foi avisado de que sua nomeação deve ser anulada. Se isso acontecer, ele volta à Câmara dos Deputados para cumprir seu mandato até o próximo dia 31, quando acaba a legislatura. O ex-ministro não tentou a reeleição. (A Câmara informou que Marun renunciou ao mandato no dia 31 de dezembro e, portanto, não poderá reassumir)

Vou ali. Superministro da Economia, Paulo Guedes se viu cercado por deputados que puxavam conversa enquanto aguardavam a chegada de Bolsonaro ao plenário da Câmara, ontem. Discretamente, ele se esquivou e foi sentar na última fileira do plenário, conseguindo evitar o assédio.

Trocando figurinhas. Apesar de o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ter dado carona para outros políticos no avião da FAB, Wilson Witzel e o juiz Marcelo Bretas, da Lava Jato, vieram conversando mais reservadamente durante a viagem.

Popstar. Dos 22 ministros de Bolsonaro que ontem tomaram posse coletiva, três foram os mais aplaudidos: Sérgio Moro (Justiça), general Heleno (GSI) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia).

A guerra… Populares que acompanharam a posse de Bolsonaro receberam um folheto assinado por uma entidade denominada Movimento Unidos pelo Brasil com recomendação para seus aliados vigiem a oposição. Um número de grupo de WhatsApp foi divulgado.

…continua. “Os eleitores de Bolsonaro permanecerão fiéis? Saberão se organizar para apoiá-lo contra truques sujos daqueles que não querem sair do poder? É preciso que cada um em seus Estados vigie seus deputados e senadores”, diz o folheto do movimento.

SINAIS PARTICULARES – OS NOVOS MINISTROS 

SINAIS PARTICULARES: Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central; por Kleber Sales

Estratégia. Antes de levar a reforma do INSS ao plenário, o governo quer fazer um teste: votar uma proposta mais simples para mapear o tamanho da base.

Arrancar… Relator da reforma na gestão Temer, o deputado Arthur Maia diz ter aconselhado representantes do novo governo a não fatiar a votação.

…o band-aid. “Nenhum governo terá força suficiente para fazer duas reformas. Eu sei o que é acordar cedo para pegar avião escoltado pela PF porque o tema é impopular”, pondera Maia.

CLICK. A deputada federal eleita Carla Zambelli (PSL-SP) levou de lembrança para casa rosas usadas na decoração do plenário da Câmara para a posse de Bolsonaro.

FOTO: Naira Trindade

Batata… Bolsonaro recebeu dois avisos de interlocutores do Ministério da Agricultura preocupados com recentes declarações do chanceler Ernesto Araújo.

…quente. Polêmicas como a mudança de endereço da Embaixada de Israel impactam na relação da pasta com o mercado externo, o que provoca apreensão no entorno da ministra Tereza Cristina

Queimou. Outro problema bate à porta: Eduardo Bolsonaro quer presidir a Comissão de Relações Exteriores da Câmara.

PRONTO, FALEI! 

Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)

“As pessoas estão falando tanto, que estou começando a me animar”, DO SENADOR DAVI ALCOLUMBRE (DEM-AP), sobre a possibilidade de lançar candidatura à presidência do Senado em oposição a Renan Calheiros.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU VERA ROSA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao