Fabio Pozzebom/Agência Brasil
Fabio Pozzebom/Agência Brasil

Resultado das eleições 2020: veja lista de prefeitos eleitos no 2º turno

Eleitores de 57 cidades foram às urnas neste domingo, 29. Dezoito capitais encerraram disputa pela Prefeitura

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2020 | 18h30
Atualizado 30 de novembro de 2020 | 11h48

Eleitores de 57 cidades foram às urnas neste domingo, 29, para definir o segundo turno das eleições municipais. Entre os municípios em disputa, 18 capitais definiram hoje quem assume novo mandato em 2021: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, Fortaleza, Goiânia, Belém, Vitória, São Luís, Teresina, Rio Branco, Porto Velho, Manaus, Maceió, João Pessoa, Boa Vista, Cuiabá e Aracaju

O Estado de São Paulo é o que registra mais cidades que vão para a segunda etapa das eleições 2020. São quinze municípios: Bauru, Campinas, Diadema, Franca, Guarulhos, Limeira, Mauá, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Praia Grande, Ribeirão Preto, São Vicente, Sorocaba, Taboão da Serra e Taubaté.

Devido ao apagão sofrido no Estado, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amapá decidiu na sexta-feira, 13, realizar os dois turnos das eleições municipais de Macapá nos dias 13 e 27 de dezembro. O novo calendário precisa ainda ser aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Veja abaixo o resultado do segundo turno das eleições 2020 nas capitais

Aracaju (SE): Edvaldo Nogueira vai ser prefeito pela 4ª vez

Edvaldo Nogueira (PDT) foi reeleito prefeito de Aracaju. Ele obteve 57,86% dos votos válidos (150.823). Delegada Danielle (Cidadania) obteve 42,14% (109.864 votos). Com a vitória, Nogueira vai comandar a prefeitura da capital sergipana pela quarta vez – em um dos mandatos ele assumiu após renúncia do então prefeito Marcelo Déda, que concorreu ao governo em 2006.

"Essa foi a minha maior votação, o que dá mais responsabilidade, mais vontade de governar", disse ele após o resultado. O prefeito mencionou ainda que pretende apresentar "um plano econômico para enfrentar o pós pandemia" no novo governo. (Juliana Paixão, especial para o Estadão)

Belém (PA): Edmilson Rodrigues vence após disputa acirrada

Com uma vitória apertada, Edmilson Rodrigues (PSOL) foi eleito prefeito de Belém, com 51,7% dos votos válidos. Nas urnas, ele derrotou o Delegado Eguchi (Patriotas), que pontuou 48,25% na votação. O resultado do segundo turno foi confirmado por volta das 17h45, quando 98,56% das urnas já tinham sido apuradas. A primeira manifestação do prefeito eleito após a confirmação pelo resultado foi por meio de sua conta no Twitter, com a curta frase "O Prefeito tá ON".

 "Vamos governar para todos. Belém é uma cidade desigual, com problemas estruturais, exige projetos de grande envergaduras. Vamos somar esforços com todas as cores. Eu já conversei com as autoridades. Com vários deputados federais, conversei com o governador e com o atual prefeito Zenaldo Coutinho, e todos sabem da nossas diferenças, mas eu tenho de ser coerente", disse. (Roberta Paraense, especial para o Estadão)

Boa Vista (RR): Capital de Roraima segue com o MDB

Boa Vista seguirá sendo administrada pelo mesmo grupo político. Arthur Henrique (MDB) foi eleito no segundo turno por expressiva margem: 85,36% dos votos válidos. Ele superou Otacci Nascimento (Solidariedade), que registrou apenas 14,64% dos votos. Arthur Henrique é vice-prefeito e contou com o apoio, durante toda a campanha, da prefeita Teresa Surita, também de MDB.

Durante toda a campanha, o foco do agora prefeito eleito era manter a administração de Teresa. "O meu compromisso é de seguir com esse trabalho sério na cidade de Boa Vista. O nosso compromisso é transformar Boa Vista na cidade com a maior qualidade de vida do País. Vamos continuar para melhorar a vida das pessoas, cada vez mais", pontuou. (Paola Carvalho, especial para o Estadão)

Cuiabá (MT): Emanuel Pinheiro vira e supera Abílio Junior

Emanuel Pinheiro (MDB), de 55 anos, foi reeleito ontem prefeito de Cuiabá, com 51,15% dos votos válidos. Ele superou Abílio Junior, (Podemos), que obteve 48,85%. Em Cuiabá, o porcentual de abstenção atingiu 24,79%. A vitória de Pinheiro representou uma virada em relação ao resultado do primeiro turno. Na ocasião, Abílio terminou à frente, com 33,72% dos votos válidos, ante 30,64 de Pinheiro. Foi a terceira vez que o prefeito de Cuiabá concorreu ao cargo – sua segunda vitória nas urnas. (Bruna Pinheiro, especial para o Estadão)

Fortaleza (CE): José Sarto vence com apoio de frente ampla

Presidente da Assembleia Legislativa do Ceará e apoiado por uma frente ampla que vai do DEM ao PSOL, José Sarto (PDT) será o novo prefeito de Fortaleza. Ele foi eleito com 51,69 % dos votos válidos (668.652 votos)

Próximo à família Gomes, o candidato reuniu um grupo de partidos para fazer oposição ao bolsonarismo em uma disputa nacionalizada – seu oponente, Capitão Wagner (PROS), recebeu o apoio do presidente Jair Bolsonaro.  

Goiânia (GO): Internado em estado grave por covid, Maguito vence segundo turno

O prefeito eleito de Goiânia é Maguito Vilela (MDB), mas ele está fora da cidade e ainda não sabe que venceu com 52% dos votos. O emedebista, de 71 anos, está entubado em um hospital de São Paulo para tratar a covid-19 desde 15 de novembro, quando passou para o segundo turno contra o senador Vanderlan Cardoso (PSD). 

Com as suspeitas de infecção pelo novo coronavírus, Maguito, ex-governador de Goiás, teve seu último compromisso de campanha em 18 de outubro. Desde então, seu quadro de saúde se agravou. O diagnóstico do vírus ocorreu dois dias depois. 

João Pessoa (PB): Ex-governador do Estado e ex-prefeito, Cícero Lucena vence na capital paraibana

Cícero Lucena (PP) foi eleito prefeito de João Pessoa com 53,12% dos votos válidos (185.055) ante aos 46,84% (163.030) de Nilvan Ferreira (MDB). Lucena, que já foi prefeito por dois mandatos consecutivos (1997-2005), ex-governador e ex-senador pela Paraíba, recebeu apoio do atual governador do Estado, João Azevêdo (Cidadania). Após o final da apuração, Azevêdo disse que "venceu o respeito", ao parabenizar Lucena.

O prefeito eleito de João Pessoa também recebeu o apoio dos senadores José Maranhão (MDB) e Cássio Cunha Lima (PSDB) e tinha como vice um major do Exército, Eduardo de Morais Milanez, apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro. (Janaína Araújo, especial para o Estadão)

Maceió (AL): Deputado federal JHC bate aliado de Calheiros

O deputado federal João Henrique Caldas (PSB), o JHC, foi eleito prefeito de Maceió com 58,64% dos votos válidos (222.147). Ele derrotou Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB), candidato apoiado pelo governador Renan Calheiros Filho (MDB) e pelo prefeito da capital, Rui Palmeira (sem partido). Mendonça obteve 156.704 votos (41,36%). “Um (lado) queria continuar, outro queria mudar de verdade: na saúde, na educação, no transporte público”, disse JHC pouco antes do final da apuração. (Carlos Nealdo, especial para o Estadão)

Manaus (AM): David Almeida vence Amazonino Mendes

David Almeida (Avante) foi eleito prefeito de Manaus com 51,27% dos votos válidos. Almeida vai comandar, pela primeira vez, a capital amazonense, que chegou a governar interinamente. O candidato Amazonino Mendes (Podemos) tentava comandar Manaus pela quarta vez, mas foi derrotado – obteve 48,73% dos votos válidos. Almeida havia ficado em segundo lugar no primeiro turno. Nos últimos dias de campanha, Almeida teve de se afastar das atividades por causa da piora no quadro de saúde de sua mãe, Rosa Almeida, internada desde novembro. Vítima da covid-19, ela morreu na tarde de sábado. Após votar, o candidato foi ao velório e sepultamento. 

Em live nas redes sociais, o candidato eleito se manifestou sobre a vitória e disse que está isolado em casa por estar de luto. "Não temos como sair para a rua e comemorar. Esta vitória é em homenagem a minha mãe. É uma mistura de alegria, felicidade, luto e dor. Mas, garanto que, em janeiro, serei o prefeito de todos os moradores de Manaus", disse. (Alisson Castro, especial para o Estadão)

Porto Alegre (RS): Deputado Sebastião Melo supera Manuela D'Ávila 

Deputado estadual pelo Rio Grande do Sul, Sebastião Melo (MDB) venceu a eleição para a prefeitura de Porto Alegre neste segundo turno. O candidato foi eleito com 54,6% dos votos válidos, contra 45,5% de sua oponente, a ex-candidata à vice-presidência Manuela D'Ávila (PCdoB). A votação na capital gaúcha também teve um alto índice de abstenções, na casa de 32,8%. 

Os dois fizeram uma campanha marcada por temas da cidade e pela discussão do racismo, especialmente após a morte de João Alberto Freitas em uma filial do supermercado Carrefour na cidade. 

Porto Velho (RO): Cristiane Lopes cresce, mas Hildon sai vitorioso

Em uma eleição com alta abstenção (34,18%), o candidato Hildon Chaves (PSDB) foi escolhido para governar Porto Velho. Ele obteve 54,45% dos votos e superou a candidata Cristiane Lopes (PP). Ela teve 92.015 votos válidos, ou 45,55%. A eleição de Hildon era esperada, afinal, ele já havia registrado vitória consistente no primeiro turno. Na oportunidade, ele marcou 34,01% dos votos válidos. Derrotada, Cristiane teve forte crescimento nesta segunda etapa, já que havia obtido 14,32% dos votos no 1º turno. 

Em seu discurso de vitória, Hildon Chaves falou sobre a continuação de seu trabalho na Capital. "A vitória dessa eleição representa, acima de tudo, o referendo, a chancela da população de que nós estávamos desde o início no caminho certo", disse.(Quétila Ruiz, especial para o Estadão)

Recife (PE): Na disputa em família, João Campos supera Marília Arraes e se torna prefeito mais jovem

Em uma disputa acirrada, João Campos (PSB) venceu Marília Arraes (PT) na disputa de segundo turno para a Prefeitura de Recife com 56,27% dos votos contra 43,73% da adversária. Com a vitória, João Campos torna-se o prefeito mais jovem de uma capital. Ele tem 27 anos. Os primos de segundo grau protagonizaram uma sequência de desentendimentos nas eleições de 2020.

Além da briga pelo poder local, estava em jogo uma demonstração de forças nacional entre duas legendas do campo da esquerda que preparam terreno para 2022: a aliança PSB-PDT e o PT - que teve o apoio do PSOL na capital pernambucana.

Rio Branco (AC): Tião Bocalom, do PP, é eleito após 2 tentativas

Tião Bocalom (PP) foi eleito ontem prefeito de Rio Branco, capital do Acre, após derrotar Socorro Neri, que era candidata à reeleição pelo PSB. Bocalom conquistou 104.746 votos (62,93%) e Socorro Neri somou 61.702 votos (37,07%). Bocalom, de 67 anos, chega ao poder municipal depois de 14 anos tentando comandar a capital Rio Branco – duas vezes – e o governo do Estado do Acre, três vezes. Sua vice será a ex-deputada federal Marfisa Galvão (PSD). O prefeito eleito comemorou a conquista confirmada nas urnas. "Nós tivemos muitas pessoas acreditando, se esforçando com a gente. Isso é resultado da nossa persistência", disse. (João Renato Jácome, especial para o Estadão)

Rio de Janeiro (RJ): Eduardo Paes volta à prefeitura do Rio

O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) voltará à prefeitura do Rio. Com 64% dos votos válidos, ele derrotou o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), que tentava a reeleição com o apoio do presidente Jair Bolsonaro e ficou com apenas 36%. Paes ganhou em todas as zonas eleitorais da cidade. 

Desde o início da campanha, Paes conseguiu manter o favoritismo tanto no primeiro quanto no segundo turno, e em nenhum momento se viu ameaçado. Durante o primeiro, o ex-mandatário focou em falar de propostas e dizer que “o Rio vai voltar a dar certo”, sempre comparando seus mandatos com o de Crivella, que é altamente rejeitado pela população. 

São Luís (MA): Capital do Maranhão elege Eduardo Braide

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) é o novo prefeito de São Luís. Ele recebeu 270 mil votos, o que corresponde a 55,53% dos votos válidos, enquanto o deputado estadual Duarte Junior (Republicanos) recebeu 216.665 mil votos – 44,47%. Brancos e nulos somaram 31.821 votos, ou seja, 6,15% dos votos totais, e abstenções foram 25,85%, cinco pontos porcentuais a mais do que o registrado no primeiro turno.

Após a vitória, Braide afirmou que pretende implantar seu plano de governo desde o primeiro dia. "Planejar para implantar a subprefeitura da zona rural, acabar com a humilhação que é a central de marcação de consultas na saúde. Vamos investir também em educação, para que a partir do ano que vem se tenha uma educação de qualidade, que vai servir para o ano letivo e repor o ano passado", afirmou. (Ernesto Batista, especial para o Estadão)

São Paulo (SP): Bruno Covas venceu a disputa contra Guilherme Boulos

Candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB) venceu a disputa pela Prefeitura de São Paulo. Herdeiro de um dos sobrenomes mais emblemáticos da política paulista, o tucano superou seu avô, ao menos no que diz respeito à prefeitura. Mário Covas não chegou ao cargo por escolha popular. Ele foi o último prefeito biônico antes de democratização, em 1983. Bruno, de 40 anos, seguia uma história parecida – era o vice na chapa vencedora de 2016 –, até ganhar a eleição no segundo turno, neste domingo, 29.

Segundo aliados, uma vitória com gosto de superação, além de uma carga de emoção não prevista. Com 96,50% das urnas apuradas, o tucano está matematicamente reeleito, derrotando Guilherme Boulos (PSOL), isolado nos últimos dois dias da campanha após anunciar que contraiu o novo coronavírus. O tucano obteve 59,38% dos votos válidos, ante 40,62% do candidato do PSOL.

Teresina (PI): Dr. Pessoa acaba com série de vitórias tucanas

O emedebista Dr. Pessoa ampliou a vantagem que teve no primeiro turno e foi eleito prefeito de Teresina neste domingo, 29, com 62,31% dos votos válidos, contabilizando 236.339 votos. Médico, de 74 anos, ele já ocupou os cargos de vereador de Teresina e deputado estadual. Pessoa concorreu à prefeitura de Teresina pela segunda vez e, neste ano, conseguiu reunir o apoio de líderes políticos tradicionais. O segundo colocado na disputa, Kleber Montezuma (PSDB), teve 37,69% dos votos (142.941 votos). A vitória de Dr. Pessoa encerra uma sequência de sete vitórias consecutivas do PSDB na capital do Piauí, iniciadas em 1992 e que seguiram até 2016.

Logo após o resultado, o prefeito eleito afirmou: "o maior desafio não é a pandemia [do novo coronavírus] não, é a pobreza. Esse descaso administrativo que deixou uma grande vulnerabilidade". E completou: "Minha história é de resultado em relação àqueles que não tiveram oportunidade, àqueles que não têm o sabor da cidadania. Vou marchar forte com minha equipe para dar pelo menos o gosto de cidadania para os teresinenses. O primeiro ato é em relação aos excluídos. Aqueles que dormem nos bancos da praça, que dormem no "pé" da igreja, que ficam pedindo nas ruas". (João Magalhães, especial para o Estadão)

Vitória (ES): Pazolini vence petista João Coser

Lorenzo Pazolini (Republicanos), o delegado Pazolini, foi eleito em Vitória com 58,63% dos votos válidos. O delegado bateu o ex-prefeito da capital do Espírito Santo, João Coser (PT), que teve 41,37% dos votos. As última pesquisa do Ibope, divulgada no sábado, 28, apontava um cenário mais acirrado na disputa, com 50% das intenções de voto para cada candidato. Com a abertura das urnas, no entanto, o candidato do Republicanos logo assumiu uma liderança confortável. Ele comemorou o resultado: "Posso dizer que hoje demos mais um passo para tornar realidade o sonho que ousamos compartilhar com os cidadãos de Vitória". Pazolini tem 38 anos e é casado. Formado em Direito, tem pós-graduação em Gestão de Segurança Pública. (Vinícius Rangel, especial para o Estadão)

Veja abaixo o resultado do segundo turno das eleições 2020 nas demais cidades:

Norte

Santarém (PA): O atual prefeito Nélio Aguiar (DEM) foi reeleito com 59,22% dos votos

Nordeste

Caucaia (CE): Vitor Valim (Pros) foi eleito com 51,08% dos votos

Paulista (PE):  Yves Ribeiro (MDB) venceu com 57,52 % dos votos

Feira de Santana (BA): Colbert Martins (MDB) foi reeleito com 54,42 % dos votos

Vitória da Conquista (BA):  Herzem Gusmão (MDB) foi eleito com 54,00 % dos votos

Centro-Oeste

Anápolis (GO): Roberto Naves (PP) foi eleito com 61,28 % dos votos

Sudeste

Bauru (SP): Suéllem Rosim (Patriota) foi eleita com 55,98 % dos votos.  

Campinas (SP): Dário Saadi (Republicanos) venceu com 57,07 % dos votos

Diadema (SP): Filippi (PT) foi eleito com 51,35 % dos votos

Franca (SP):  Alexandre Ferreira (MDB) foi eleito com 57,62 % dos votos

Guarulhos (SP): Guti (PSD) foi reeleito com 57,83 % dos votos

Limeira (SP): Mario Botion (PSD) foi eleito com 54,88 % dos votos

Mauá (SP)​: Marcelo Oliveira (PT) foi eleito com 50,74 % dos votos

Mogi das Cruzes (SP)​: Caio Cunha (Podemos) foi eleito com 58,39% dos votos

Piracicaba (SP)​: Luciano Almeida (DEM) foi eleito com 54,20% dos votos

Praia Grande (SP): Raquel Chini (PSDB) foi eleita com 53,52 % dos votos

Ribeirão Preto (SP): Duarte Nogueira (PSDB) foi eleito com 63,16 % dos votos

São Vicente (SP): Kayo Amado (Podemos) foi eleito com 56,30 % dos votos

Sorocaba (SP): Rodrigo Manga (Republicanos) foi eleito com 52,58 % dos votos

Taboão da Serra (SP): Aprígio (Podemos) foi eleito com 50,63 % dos votos

Taubaté (SP): Saud (MDB) venceu com 65,01 % dos votos.  

Campos do Goytacazes (RJ): Wladimir Garotinho (PSD) venceu com 52,40 % dos votos (sub judice). 

Petrópolis (RJ): Rubens Bomtempo (PSB) venceu com 55,18 % dos votos (sob judice). 

São Gonçalo (RJ): Capitão Nelson  (Avante) foi eleito com 50,79 % dos votos

São João de Meriti (RJ): Dr João (DEM) foi eleito com 56,83 % dos votos

Cariacica (ES): Euclerio Sampaio (DEM) foi eleito com 58,69 % dos votos

Serra (ES): Serio Vidigal (PDT) foi eleito com 54,90 % dos votos

Vila Velha (ES): Arnaldinho Borgo (Podemos) foi eleito com 69,03 % dos votos

Contagem (MG): Marília (PT) foi eleita com 51,35 % dos votos

Governador Valadares (MG): Andre Merlo (PSDB) foi eleito com 57,74 % dos votos

Juiz de Fora (MG): Margarida Salomão (PT) foi eleita com 54,98 % dos votos

Uberaba (MG): Elisa Araújo (Solidariedade) foi eleita com 57,36 % dos votos

Ponta Grossa (PR): Professora Elizabeth (PSD) foi eleita com 52,38 % dos votos

Canoas (RS): Jairo Jorge (PSD) foi eleito com 53,06 % dos votos

Caxias do Sul (RS): Adiló (PSDB) foi eleito com 59,57 % dos votos. 

Pelotas (RS): Paula Mascarenhas (PSDB) foi eleita com 68,70 % dos votos

Santa Maria (RS): Pozzobom (PSDB) foi eleito com 57,29 % dos votos

Blumenau (SC): Mário Hildebrandt (Podemos) foi eleito com 72,10 % dos votos

Joinville (SC): Adriano Silva (Novo) foi eleito com 55,43 % dos votos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.