DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Veja quem são os candidatos a governador de SP nas eleições 2018

No total, 12 nomes disputam o Palácio dos Bandeirantes; registros devem ser enviados para a Justiça Eleitoral até 15 de agosto

Igor Moraes, O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2018 | 19h28
Atualizado 17 Setembro 2018 | 16h13

Ocupado pelo PSDB há mais de duas décadas, o Palácio dos Bandeirantes será alvo de uma disputa acirrada nas eleições 2018. No total, o pleito de outubro deverá contar com 12 candidatos a governador de São Paulo.

Além de João Doria, que tentará manter a hegemonia tucana, entre os postulantes figuram nomes de peso como Paulo Skaf (MDB), segundo colocado na última eleição, e Márcio França (PSB), atual governador do Estado. 

Os pedidos de candidatura devem ser enviados pelos partidos para a Justiça Eleitoral até o dia 15 de agosto. Os requerimentos serão julgados até o dia 17 de setembro. 

Veja abaixo, em ordem alfabética, a lista dos candidatos a governador de São Paulo nas eleições 2018

Adriano Costa e Silva (DC)

O major do Exército Adriano da Costa e Silva é o candidato a governador do Democracia Cristã. Nas forças armadas há 24 anos, o militar já foi professor universitário e instrutor no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) de São Paulo. 

Oficialmente, o candidato a vice na chapa definido na convenção do partido, realizada no dia 28 de julho, é Humberto Alencar. A sigla, no entanto, confirma que o nome será alterado para a cabo Fátima Pérola Negra. A decisão pela mudança foi tomada na última sexta-feira, 3.

Cláudio Fernando Aguiar (PMN)

O professor Claudio Fernando Aguiar será o candidato a governador pelo PMN. Sua campanha também cumprirá a função de abrir um palanque para a presidenciável Marina Silva em São Paulo. O vice na chapa é Roberto Campos, da Rede.

João Doria (PSDB)

O PSDB oficializou em julho o nome de João Doria como candidato ao Governo de São Paulo nas eleições 2018. O tucano, que renunciou ao cargo de prefeito da capital para disputar o Palácio dos Bandeirantes, contará com o apoio do PRB de Celso Russomanno, do PP, do PSD e do PTC. O DEM, do candidato a vice Rodrigo Garcia, também está na coligação.

Na última pesquisa Ibope, Doria viu suas intenções de voto aumentarem para 21% e ficou no segundo lugar do levantamento. Um dos desafios para o ex-prefeito paulistano durante a campanha será superar a rejeição do eleitorado. Apesar de cair em relação à última pesquisa, sua rejeição no Estado é de 33% e, na capital, de 52%.

Na mais recente pesquisa CNT/ MDA, Doria está na liderança, com 16,4% das intenções de voto. O tucano, no entanto, está tecnicamente empatado com Paulo Skaf, que figurou na segunda posição com 16,2%.

Lilian Miranda (PCO)

A professora Lilian Miranda, inicialmente indicada para ser candidata a vice, assumiu a cabeça de chapa do PCO depois que o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo indeferiu o pedido de candidatura de Edson Dorta.

O candidato a vice será Márcio Roberto, também do PCO. Os registros de ambos ainda aguardam julgamento na Justiça Eleitoral.

Lisete Arelaro (PSOL)

A pedagoga Lisete Arelaro foi oficializada pelo PSOL como candidata ao governo de São Paulo. Ex-diretora da Faculdade de Educação da USP, onde atualmente é professora titular, Lisete é militante feminista e defensora das cotas universitárias. Duas vezes secretária de Educação de Diadema (SP), a pedagoga integrou a equipe de Paulo Freire na Secretaria da cidade de São Paulo durante a gestão de Luiza Erundina no início dos anos 90. 

O vice na chapa será Maurício Costa, também filiado ao PSOL. O partido fará aliança com o PCB nas eleições 2018.

Luiz Marinho (PT)

O ex-prefeito de São Bernardo do Campo será o candidato do PT para o governo de São Paulo. Na última pesquisa Ibope de intenção de votos, Luiz Marinho registrou 3% das intenções de voto.

A tarefa para se tornar mais popular não será fácil. Depois de perder prefeituras em 2016, o PT entra enfraquecido na eleição para o Estado e contará apenas com o apoio do PCdoB.

A vice de Marinho será a psicóloga Ana Bock, também do PT.

Marcelo Cândido (PDT)

O PDT oficializou a candidatura de Marcelo Cândido, ex-prefeito de Suzano, no último dia das convenções partidárias. O anúncio da candidatura aconteceu depois que o partido rompeu o acordo que já havia fechado com Márcio França. A sigla esperava ter a vaga de vice na chapa para reeleição do governador.

Gleides Sodré, presidente da Associação Mulher Trabalhista (AMT), será a candidata a vice.

Márcio França (PSB)

O atual governador de São Paulo, que herdou o cargo do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), será candidato pelo PSB nas eleições 2018. Prefeito de São Vicente (SP) por dois mandatos, Márcio França foi eleito deputado federal em 2006 e permaneceu na Câmara até 2014.

O governador aposta na articulação política para se tornar mais conhecido entre o eleitorado. Com quatorze partidos na coligação -- PSB, PTBPPS, PR, PV, PROS, Patriota, Podemos, Solidariedade, PHS, PPL, PSC, PMB e PRP --, França terá o segundo maior tempo de TV e rádio na propaganda eleitoral.

A vice na chapa é a coronel Eliane Nikoluk (PTB), primeira mulher a comandar a PM no Vale do Paraíba.

Paulo Skaf (MDB)

O MDB oficializou o nome de Paulo Skaf como candidato a governador de São Paulo em julho. O presidente licenciado da Fiesp não só é o único concorrente das eleições 2018 que já disputou o cargo como cabeça de chapa, mas ficou em segundo lugar em 2014 e quarto lugar em 2010.

O emedebista apareceu na liderança da última pesquisa Ibope para o Palácio dos Bandeirantes, com 22% das intenções de voto e tecnicamente empatado com João Doria. Na mais recente pesquisa CNT/ MDA, o empate técnico persiste, mas Skaf é o segundo colocado com 16,2%. O tucano lidera com 16,4%.

A candidata a vice de Skaf é a tenente coronel da PM Carla Danielle Basson.

Rodrigo Tavares (PRTB)

O advogado Rodrigo Tavares, de 37 anos, foi oficializado como candidato do PRTB para o Governo de São Paulo. O candidato a vice no partido de Levy Fidelix é Jairo Glikson.

Rogério Chequer (NOVO)

Rogério Chequer foi oficializado candidato a governador de São Paulo pelo Partido Novo. Ex-líder do Vem Pra Rua (VPR), movimento que protagonizou as manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Chequer deixou o grupo e se filiou ao Partido Novo no final do ano passado. A privatização de empresas estatais é uma de suas principais plataformas políticas. 

A candidata a vice de Chequer será Andrea Menezes, também integrante do Novo.

Toninho Ferreira (PSTU)

O advogado Toninho Ferreira foi oficializado como candidato a governador pelo PSTU. Ex-metalúrgico, ele foi dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e atuou na defesa dos moradores do Pinheirinho, também na região, em 2012.

A candidata a vice será a professora Ariana Gonçalves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.