NIlton Fukuda/Estadão
NIlton Fukuda/Estadão

Sobe para 22 o total de pessoas que estiveram com Bolsonaro nos EUA e têm coronavírus

Foram confirmados os resultados positivos de Filipe Martins, Major Cid, Coronel Suarez e Carlos França

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2020 | 01h02

BRASÍLIA - Chegou a 22 nesta quinta-feira, 19, o número de pessoas que participaram da viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos na semana passada e agora estão com o coronavírus.

Foram confirmados os resultados positivos do assessor internacional da Presidência, Filipe Martins; do chefe da ajudância de ordens, Major Cid; diretor do Departamento de Segurança Presidencial, Coronel  Suarez; e do chefe do Cerimonial, Carlos França.

Cid, Suarez e França passam o tempo todo muito próximos do presidente e assim ficaram durante a viagem aos Estados Unidos. Filipe Martins viajou, inclusive, ao lado do secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, o primeiro caso envolvendo a comitiva presidencial. Eles voltaram ao Brasil na madrugada da quarta-feira passada, 11, no mesmo avião do presidente.

Todos deram negativo no primeiro exame, mas testaram positivo agora. Os quatro estavam em isolamento por terem tido contato com Wajngarten.

Nesta quinta-feira, 19, também foi confirmado que o presidente da Agência Brasileira de Promoção à Exportação (Apex), Almirante Sérgio Segovia, teve teste positivo para a covid-19. Segovia confirmou a informação ao Estadão/Broadcast e disse que está assintomático e em isolamento domiciliar.

Os ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, também tiveram resultado positivo.

O teste de Jair Bolsonaro deu negativo, mas o Ministério da Saúde recomendou que o exame seja refeito na próxima semana. Enquanto isso, a recomendação é para que Bolsonaro siga em "monitoramento".Neste domingo, 14, Bolsonaro quebrou a recomendação de cautela e participou de um ato a favor do governo e com críticas ao Judiciário e ao Legislativo. Ele chegou a apertar a mão de apoiadores em frente ao Palácio do Planalto.

Os 22 contaminados que integraram ou tiveram contato com a comitiva de Bolsonaro nos EUA:

  • Fabio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência da República
  • Nelsinho Trad, senador (PTB-MS)
  • Nestor Forster, embaixador e encarregado de negócios do Brasil nos EUA
  • Karina Kufa, advogada e tesoureira do Aliança pelo Brasil
  • Sérgio Lima, publicitário e marqueteiro do Aliança pelo Brasil
  • Samy Liberman, secretário-adjunto de comunicação da Presidência
  • Alan Coelho de Séllos, chefe do cerimonial do Itamaraty
  • Quatro integrantes não-identificados da equipe de apoio do voo presidencial aos EUA
  • Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI)
  • Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia
  • Flávio Roscoe, presidente da Federação das Indústria do Estado de Minas Gerais
  • Daniel Freitas, deputado federal (PSL-SC)
  • Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI)
  • Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia
  • Sérgio Segovia, presidente da Agência Brasileira de Promoção à Exportação (Apex)
  • Filipe Martins, assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais
  • Major Cid, chefe da ajudância de ordens da Presidência da República
  • Coronel  Suarez, diretor do Departamento de Segurança Presidencial
  • Carlos França, chefe do cerimonial do Palácio do Planalto
Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonarocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.