FELIPE RAU/ESTADÃO - 2/5/2019
FELIPE RAU/ESTADÃO - 2/5/2019

‘É o começo do fim de Bolsonaro’, diz presidente do grupo empresarial Instituto Brasil 200

Gabriel Kanner, do Instituto Brasil 200, afirma que, com as acusações ‘gravíssimas’ de Moro, o apoio fica ‘completamente abalado’

Entrevista com

Gabriel Kanner, presidente do Instituto Brasil 200

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2020 | 16h11

BRASÍLIA – Presidente do Instituto Brasil 200, Gabriel Kanner diz que a saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça é "o começo do fim de Bolsonaro”.  O instituto reúne cerca de 300 empresários em todo o Brasil que apoiaram o presidente Jair Bolsonaro.

Em entrevista ao Estado, Kanner afirma que, com as acusações “gravíssimas” de Moro, o apoio fica "completamente abalado". “Se perde”, disse. “Hoje, qualquer tipo de esperança que a gente pudesse ter no Bolsonaro veio por água abaixo”. Kanner disse ainda que é possível que o ministro da Economia, Paulo Guedes, saia do governo em breve

Qual o impacto da saída do ministro Sergio Moro?

É impressionante. Todo mundo acreditou que Bolsonaro pudesse fazer uma transformação na política brasileira, uma limpa, combater a corrupção, esses pilares que o elegeram em 2018, representavam que ninguém aguentava mais o que tinha acontecido no Brasil. Hoje, qualquer tipo de esperança que a gente pudesse ter no Bolsonaro veio por água abaixo. Não só pela saída do Sérgio Moro, gravíssima, que abala fortemente a base de sustentação do governo, mas as acusações são extremamente graves. Essa interferência, que ele queria ter na Polícia Federal, não vimos nem na época do PT quando começou a Lava Jato. Mostra outra faceta do Bolsonaro que até agora não havia sido exposta. Faz a gente perder qualquer tipo de confiança que a gente podia ter no presidente. Vai ser a palavra de um de outro. Mas eu acredito no ministro Moro de que o presidente queria ter alguém na PF.

O sr. representa um grupo de empresários que apoiou o presidente. Como ficará o apoio desses empresários a partir de agora?

O apoio fica completamente abalado. Hoje, contamos com cerca de 300 empresários pelo Brasil inteiro. E apoio se perde. Não tem como manter apoio a um presidente que vai tão de desencontro aos valores que o elegeram. Ele está fazendo o contrário. A gente elegeu o Bolsonaro para combater a corrupção e ele está fazendo o contrário. O apoio fica completamente abalado. 

Todos os empresários do grupo vão retirar o apoio?

Não posso falar por todos. Mas, sem dúvida, é o começo do fim do Bolsonaro. Dificilmente, ele vai conseguir uma base de apoio dos empresários. Até por causa do isolamento do Paulo Guedes.

Como o sr. vê a fritura do Paulo Guedes, que é o alvo da vez dos bolsonaristas?

Esse plano Pró-Brasil sem a participação de Paulo Guedes imagino que o ministro deva sair em breve do governo. Isso realmente destrói qualquer esperança que a gente possa ter. Do ponto de vista econômica, é muito grave. A gente vinha de uma mudança de rota da economia, buscando uma recuperação econômica. Vai ser muito difícil a retomada da economia. É muito incerto. Não temos como saber se o Paulo Guedes vai permanecer ou sair. A forma como foi abalada a confiança nos deixa muito inseguros. 

Qual a expectativa do sr. em relação à permanência do ministro?

Ele já entrou em rota de colisão. Se a gente acompanha todos os casos. Eles sempre acabaram em demissão. É possível que o Paulo Guedes saia do governo em breve.

Veja o que outros empresários disseram após a demissão de Sérgio Moro:

'Esse não era o momento de perder ninguém. Eu não teria feito isso', diz dono da Havan

 

Dono da Riachuelo lamenta saída de Moro, mas diz não estar decepcionado com Bolsonaro

 

Mourão tem de pegar o bastão e salvar o Brasil, diz empresário que apresentou Guedes a Bolsonaro

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Polícia FederalSérgio Moro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.