Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Resumo das Eleições 2018: Amoêdo e Marina Silva participam de sabatinas

Raquel Dodge se posiciona contra impugnação de coligação de Alckmin e Haddad é acusado; veja as principais notícias do dia

O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2018 | 17h37

De segunda a sexta, o Estado publicará resumos com as principais notícias sobre as campanhas e o dia dos candidatos nas eleições 2018.

Confira abaixo os destaques desta terça-feira, 28:

João Amoêdo, presidenciável pelo Novo, participa de segunda sabatina da série 

A série Estadão-Faap Sabatinas com os Presidenciáveis, que entrevistará os principais postulantes à Presidência nas eleições 2018, recebeu na manhã desta terça-feira, 28, o candidato João Amoêdo, do Partido Novo, que detalhou as principais propostas de sua campanha.

Durante cerca de duas horas de entrevista, o representante do Novo respondeu perguntas dos jornalistas, da plateia e falou sobre propostas de governo nas áreas de educação, saúde, política externa e economia. O candidato defendeu a privatização de estatais que considerou apenas “estratégicas para políticos”, propôs mudança na condução econômica e admitiu ter votado no ex-presidente Fernando Collor no segundo turno das eleições de 1989 por ser o opositor do PT naquele momento.

Marina Silva defende reforma do Judiciário durante sabatina

A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, defendeu nesta terça-feira, 28, também na série Sabatinas Estadão-Faap com os Presidenciáveis, uma reforma do Poder Judiciário. Segundo ela, as indicações para tribunais superiores devem seguir o critério de independência ética de quem está sendo indicado

"O presidente da República não pode indicar uma pessoa com a expectativa de que, se ela falhar, terá acolhimento", afirmou. "No caso do Supremo e da Justiça de forma geral, há uma necessidade de reforma geral também". A candidata ainda não tem uma proposta fechada do Judiciário, mas defende que conselheiros de tribunais de contas não sejam mais indicações políticas. 

Procuradoria se posiciona contra impugnação da coligação de Alckmin

A procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, enviou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer em que se posiciona contra a impugnação da coligação formada pelos partidos políticos PSDB, PTB, PP, PR, DEM, Solidariedade, PPS, PRB e PSD. O bloco apoia o tucano Geraldo Alckmin na corrida ao Palácio do Planalto nas eleições 2018

Henrique Meirelles (MDB) e sua coligação, formada por MDB e PHSquestionam as atas entregues pelos partidos PRB, DEM, PR, PP, PTB e Solidariedade, que integram a ampla coligação de apoio ao adversário tucano. 

Romário falta a debate no Rio de Janeiro

O segundo debate entre candidatos ao governo do Estado do Rio foi marcado pela ausência do senador Romário, do Podemos, líder nas pesquisas, e pela exploração das ligações entre o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) e o ex-governador Sergio Cabral (MDB) – preso sob a acusação de liderar um grupo político envolvido em esquemas de corrupção no Estado.

Haddad é acusado de enriquecimento ilícito

O Ministério Público de São Paulo moveu na segunda-feira, 27, uma ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito da capital Fernando Haddad (PT) na qual pede a condenação do petista por enriquecimento ilícito. O MP sustenta que Haddad “tinha pleno domínio” sobre o pagamento, pela UTC Engenharia, de uma dívida de R$ 2,6 milhões da campanha de 2012 à Prefeitura com recursos de caixa 2.

Na ação, o promotor Wilson Tafner, da Promotoria do Patrimônio Público, requer, ainda, o bloqueio de bens no valor de R $ 15,1 milhões, o ressarcimento do dano causado, multa civil e a suspensão dos direitos políticos de Haddad.

Assista abaixo a íntegra das sabatinas de João Amoêdo e Marina Silva:

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.