Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Jair Bolsonaro é desaprovado por 64%, afirma Ipsos

Pesquisa mostra alta depois de 3 meses de estabilidade; Alckmin, também pré-candidato nas eleições 2018, tem o pior resultado

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

23 Junho 2018 | 05h00

Depois de três meses de estabilidade, a desaprovação ao deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à Presidência da República nas eleições 2018, subiu de 60% para 64%, enquanto a aprovação caiu de 23% para 20%. Esta é a principal novidade da pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, que todos os meses analisa a opinião dos brasileiros sobre personalidades do mundo político e jurídico. Praticamente não houve mudanças nas taxas dos demais possíveis concorrentes ao Planalto

“Jair Bolsonaro vem mantendo esse patamar de aprovação há um ano”, disse Danilo Cersosimo, diretor do Ipsos. “É possível que seja um dado que confirme seu teto. O início da campanha eleitoral, após a Copa, vai testar a solidez dessa aprovação.”

+++Bolsonaro pede ao STF absolvição sumária em denúncia por racismo

Todos os presidenciáveis que devem participar das eleições 2018 seguem com taxas altas de reprovação. O que aparece em pior situação é Geraldo Alckmin, do PSDB: 70% desaprovam seu desempenho, contra 18% de aprovação.

+++Em jantar, Maia, Temer e Aécio discutem candidatura tucana

Apesar de o Ipsos incluir o nome de possíveis concorrentes ao Planalto em sua pesquisa, o instituto não procura medir intenção de voto. O que os pesquisadores dizem aos entrevistados é o seguinte: “Agora vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o (a) senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no País”.

 

Avaliação

Aprova ou desaprova a maneira como vêm atuando no País?

Outros pré-candidatos à Presidência nas eleições 2018

Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) têm taxas de desaprovação de 65% e 63%, respectivamente, e estão empatados com Jair Bolsonaro nesse quesito. Marina, porém, têm aprovação de 29%, cerca de dez pontos porcentuais acima desses dois adversários.

Citado como possível substituto de Luiz Inácio Lula da Silva como candidato do PT, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad tem desaprovação de 57% e é aprovado por apenas 7%. 

++ Saiba quem pode ser candidato a governador do Rio nas eleições 2018

No caso de Lula, preso desde o dia 7 de abril, a desaprovação oscilou para cima (de 52% para 54%), após dois meses de tendência de queda. O ex-presidente é aprovado por 45% – a taxa mais alta entre todos os 19 nomes apresentados pelo Ipsos aos entrevistados.

+++Fachin arquiva pedido de liberdade de Lula que STF julgaria nesta terça

O juiz Sérgio Moro, responsável pela condenação de Lula em primeira instância, enfrenta desgaste de imagem nos últimos meses. Desde março, sua taxa de desaprovação subiu oito pontos porcentuais, de 47% para 55%, enquanto a aprovação passou de 44% para 37%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.