Para atacar PSB e PT, postagem tira de contexto foto de carreata de 2018
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para atacar PSB e PT, postagem tira de contexto foto de carreata de 2018

Publicação viral usa imagem de campanha da eleição anterior para questionar postura de políticos pernambucanos na pandemia

Guilherme Bianchini, especial para o Estadão

20 de outubro de 2020 | 17h05

Uma foto de uma carreata de setembro de 2018, na cidade pernambucana de Santa Cruz do Capibaribe, circula sem contexto nas redes sociais para atacar políticos do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e do Partido dos Trabalhadores (PT). Uma publicação no Facebook dá a entender que a imagem é recente, para questionar o posicionamento durante a pandemia do deputado federal e candidato a prefeito do Recife João Campos, do governador Paulo Câmara, do deputado estadual Diogo Moraes — todos do PSB — e do senador Humberto Costa (PT).

“Esses são os mesmos que diziam, fiquem em casa. Hoje, eles estão todos na rua e você desempregado”, diz o texto da imagem, sem citar que a foto é da campanha para as eleições de 2018, em 23 de setembro daquele ano. A postagem viralizou no Facebook e já recebeu mais de dez mil compartilhamentos.

Imagem de carreata em Pernambuco é de setembro de 2018. Foto: Reprodução

O Estadão Verifica utilizou o mecanismo de busca reversa do Google para encontrar a origem da foto. Na ocasião, os políticos da esquerda pernambucana faziam campanha para ocupar os cargos em que estão atualmente. Nos perfis do Instagram de Paulo Câmara e de Diogo Moraes, também há imagens da carreata de setembro de 2018 em Santa Cruz do Capibaribe.

Líder da corrida pela prefeitura do Recife, segundo pesquisa mais recente do Ibope, João Campos tem ido às ruas para fazer campanha corpo a corpo, mas sempre de máscara. O deputado retira a proteção apenas na hora de fazer discursos. Não há registros, porém, de carreatas do socialista para a eleição de 2020.

Humberto Costa, por sua vez, não concorre a cargo público neste ano, mas também está participando de campanha na rua, para apoiar candidatos do PT no Recife. Seu filho, Henrique Costa, disputa vaga de vereador; e Marília Arraes, prima de João Campos, pleiteia a prefeitura pelo partido.

Filho do ex-governador pernambucano Eduardo Campos, morto em acidente de avião em 2014, João Campos já foi alvo de outros boatos nas redes sociais. Uma frase sobre legítima defesa, de 2019, foi tirada de contexto em postagem viral no Facebook. Uma outra publicação inventou declaração sobre o fundo partidário nunca feita pelo parlamentar.

Este conteúdo também foi checado pela Agência Lupa.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.