Câmara dos Deputados gasta R$ 15,7 mi para manter frota de veículos

Câmara dos Deputados gasta R$ 15,7 mi para manter frota de veículos

Coluna do Estadão

20 de agosto de 2018 | 05h30

Carros oficiais em reunião no Alvorada no primeiro semestre Foto: Dida Sampaio

A Câmara dos Deputados desembolsa por ano R$ 15,7 milhões para cobrir as despesas com sua frota de veículos. Em média, os gastos representam R$ 1,3 milhão por mês. A conta inclui aluguel, lavagem, combustível, motoristas e operadores de tráfego. O valor é maior do que 459 municípios de São Paulo vão receber individualmente neste ano do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A assessoria da Casa Legislativa informa que possui seis veículos e aluga outros 77 para atender deputados com cargos na Mesa Diretora e outros órgãos.

Bolo. O contrato mais caro é o de terceirização de motoristas e chega a R$ 9,6 milhões por ano. A Coluna revelou na semana passada que a Câmara gasta R$ 563 mil por ano apenas com a lavagem dos 83 veículos.

LEIA MAIS: Câmara gasta R$ 563 mil para lavar carros oficiais

Com a palavra. A Câmara não quis se manifestar sobre o valor dos contratos nem se há outras despesas relacionadas com os carros.

É comigo? A situação dos imigrantes venezuelanos em Roraima foi ignorada pelos presidenciáveis nos programas de governo registrados no TSE. A decisão de fechar ou não a fronteira, por exemplo, é do presidente da República.

Na pauta. O tema domina a eleição ao governo de RR. O tucano José de Anchieta propõe “restringir o fluxo migratório”; Antonio Denarium (PSL), “a transferência dos venezuelanos para outras partes do País” e Fabio, do PSOL, “solidariedade aos povos oprimidos”.

Na palavra. Candidata à reeleição, Suely Campos (PP) defende no Supremo o fechamento da fronteira, mas sua proposta apresentada ao TRE é vaga.

Barriga vazia. Nas cinco horas de reunião convocada pelo presidente Temer, ontem, para tratar da situação de Roraima foram servidos apenas pão de queijo e café. Com fome, os seis ministros gastaram a maior parte do tempo discutindo as vírgulas da nota.

Não enrola. O ministro Luís Roberto Barroso tem dito que não vai aceitar eventuais chicanas da defesa de Lula no TSE.

SINAIS PARTICULARES: Roberto Barroso, ministro do STF e TSE; por Kleber Sales

Antes tarde… O Ministério da Educação está em fase de conclusão de um edital de cerca de R$ 100 milhões para a compra de livros de literatura, que serão distribuídos para as escolas públicas do País no biênio 2019/2020.

…do que nunca. A última vez que o governo comprou literatura foi em 2014. A expectativa é de que o processo se encerre em novembro deste ano. A consulta sobre quais livros serão comprados ainda não foi concluída. Com dificuldades financeiras, a medida é comemorada pelas editoras.

CLICK. A ex-presidente Dilma Rousseff, candidata ao Senado, foi xingada por uma mulher enquanto passeava, ontem, em Pampulha, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). “Sua à toa”, é o único xingamento publicável. No vídeo não fica clara a reação da petista.

FOTO: Reprodução

Sem folga. Michel Temer se reuniu sábado, no Palácio do Alvorada, com o criminalista Brian Alves Prado, seu advogado nos inquéritos dos Portos e da Odebrecht. Revisaram os casos.

LEIA MAIS: Barroso prorroga por 60 dias investigações no inquérito dos Portos

Esquece isso. A Mesa Diretora da Câmara ainda não aplicou ao deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) a censura, imposta pelo Conselho de Ética, por ele ter cuspido em Jair Bolsonaro.  (NOTA ATUALIZADA ÀS 14H45 DE SEGUNDA-FEIRA, 20)

PRONTO, FALEI!

ACM NETO, presidente do DEM FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

“Não faremos aliança com o PT, mas tenho certeza que Alckmin vai para 2.º turno e não vejo razão para rejeitarmos apoio do PT se eles não estiverem lá”, DO PRESIDENTE DO DEM, ACM NETO, sobre o ex-presidente FHC dizer que o presidenciável deve aceitar o apoio do PT no segundo turno caso dispute contra Jair Bolsonaro (PSL). 

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABORARAM TÂNIA MONTEIRO, EDUARDO RODRIGUES E RAFAEL MORAES MOURA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadão