Afastado do cargo, ministro do Trabalho pede demissão

Afastado do cargo, ministro do Trabalho pede demissão

Naira Trindade

05 Julho 2018 | 17h18

Ministro Helton Yomura FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

 

O ministro do Trabalho, Helton Yomura, pediu demissão nesta quinta-feira do cargo após ser alvo da 3.ª fase da operação Registro Espúrio. O governo já havia decidido substituí-lo e busca um nome para apresentar ainda hoje. O pedido de demissão visa evitar desgaste com o PTB, que o indicou para a pasta. O presidente do PTB, Roberto Jefferson, postou no Twitter que comunicou a “Executiva Nacional do PTB coloca o Ministério do Trabalho à disposição do governo Michel Temer”.

LEIA MAIS: Planalto vai divulgar nota aceitando pedido de demissão de Yomura

LEIA TAMBÉM: STF afasta ministro do Trabalho

A terceira fase da Operação Registro Espúrio determinou o afastamento do ministro na manhã desta quinta-feira, 5. O pedido foi feito pela Polícia Federal e pela Procuradoria-Geral da República e aceito pelo ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal. A PF também cumpriu mandados de busca e apreensão contra Yomura e no gabinete do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP).

A Registro Espúrio investiga desvios no Ministério do Trabalho relacionados à concessão do registro sindical. Yomura é apadrinhado político do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) e de sua filha, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ). Pai e filha foram alvo das primeiras fases da operação. Cristiane chegou a ser nomeada ministra da pasta, mas diversas decisões da Justiça suspenderam a posse. Em fevereiro, um decreto anulou a nomeação. (Naira Trindade)