Gerdan Wesley/Divulgação
Gerdan Wesley/Divulgação

Em encontro, Aécio recomenda que Alckmin radicalize no discurso das reformas

Na avaliação do senador mineiro, a possível impugnação da candidatura de Lula abre um espaço maior para os chamados nomes de centro

Renan Truffi, Julia Lindner e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

06 Fevereiro 2018 | 21h46

Pré-candidato à Presidência pelo PSDB, o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) se encontrou com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) nesta terça-feira, no Senado, e ouviu do ex-presidente do partido que o paulista precisa "radicalizar" no discurso reformista.

Na avaliação de Aécio Neves, a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a possível impugnação da sua candidatura abre um espaço maior para os chamados nomes de centro. O mineiro disse, entretanto, que essa candidatura de centro precisa ser essencialmente reformista. "É hora de radicalizar o discurso reformista", disse Aécio.

Polícia Federal devolve passaporte para Lula

Ex-presidente do STF, Sepúlveda Pertence integrará defesa de Lula

A conversa foi relatada pelo próprio Aécio a jornalistas, após o encontro. O senador mineiro disse que defendeu que Alckmin não deve se preocupar com a proliferação de candidaturas concorrentes. Segundo ele, a tendência é haver um "afunilamento" quando estiver mais próximo das eleições.

Aécio contou também que os dois discutiram sobre a provável votação da reforma da Previdência. O senador mineiro afirmou que a avaliação interna é que um terço da bancada do PSDB está resistente em votar a favor do texto que altera as regras da aposentadoria. Na visão do ex-presidente do PSDB, os tucanos precisamos entregar ao menos 70% de seus votos à proposta, prevista para ser votada neste mês.

'O Brasil não precisa de guerreiros, mas de pacificadores', diz Alckmin

Alckmin diz que pode ter 'dois ou três palanques' em São Paulo

PPS e Agora! se unem para eleger base de apoio a Huck no Congresso 

Depois de se encontrar com Aécio Neves, Alckmin vai se encontrar com o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) na residência do cearense. Os dois devem jantar sem a presença de outros tucanos. Em seguida, Alckmin participará de uma confraternização das bancadas do PSDB na Câmara e no Senado, em um restaurante de Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.