TV Estadão/Reprodução
TV Estadão/Reprodução

'Você sabe atirar?', pergunta Bolsonaro a uma criança

Em ato público em Araçatuba, presidenciável do PSL diz que 'policial tem que atirar'; veja o vídeo

Augusto Decker e José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2018 | 16h07

ARAÇATUBA - O candidato do PSL à Presidência da República nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, voltou nesta quinta-feira, 23, a ensinar uma criança a fazer um gesto de “arma” com a mão em um ato público de campanha. A um garoto que estava em seus braços com a farda infantil da Polícia Militar, o presidenciável disse: “Você sabe atirar? Você sabe dar tiro? Atira. Policial tem que atirar”.

Bolsonaro estava no coreto da praça Rui Barbosa, no centro de Araçatuba, diante de centenas de de pessoas que o acompanhavam, quando tomou esta atitude. A fala foi flagrada pelo núcleo de Carrapatos do Estadão – equipe de reportagem que acompanha diariamente e registra em vídeo a rotina dos presidenciáveis nas eleições deste ano. “Dá um tchau para a turma lá”, disse ele ao garoto, que foi levado ao encontro do presidenciável pela própria mãe.

O candidato ainda recebeu uma “chave da cidade” e a empunhou como se ela fosse uma metralhadora. Ao discursar, voltou a defender a revogação do Estatuto do Desarmamento e a liberação do porte para civis. Em seguida, em entrevista, confirmou ter feito os gestos e dito as frases gravadas pelo Estado. “Perguntei sim. ‘Quer atirar? Bota o dedinho aqui’, falei, com o pai do lado.” Os pais do garoto não foram localizados pela reportagem. 

Questionado sobre o assunto, Bolsonaro disse não ver problema no gesto. “Qual é o problema? O armamento é inerente ao ser humano e à sua defesa. Isso está na Bíblia. A própria Marina Silva este ano deu entrevista à revista Marie Claire dizendo que só não sofreu violência quando era jovem, menor de idade, porque tinha uma arma espingarda consigo”, afirmou.

Bolsonaro diz que não se pode criar 'geração de covardes'

Bolsonaro afirmou ainda que não se pode “criar uma geração de covardes”. “A arma é inerente à sua vida e à liberdade do País. Meus filhos todos atiraram com cinco anos de idade. (Uma arma) Real, não é de ficção nem de espoleta não.”

Ele voltou a criticar o que considera a “ideologia do politicamente correto”, e disse que “não se pode mais fazer uma brincadeira ‘sadia’ no Brasil”. “Estamos formando uma geração de fracos. Não se pode mais brincar de espada. Quando moleque eu tinha um revólver de alumínio e colocava a espoleta. Hoje não pode mais.”

Esta não é a primeira vez que Bolsonaro é flagrado ensinando uma criança a fazer um gesto de “pistola” com a mão. No dia 20 de julho, quando cumpria agenda de campanha em Goiânia, ele foi fotografado orientando uma menina. A atitude, que se repetiu em outras duas ocasiões, foi criticada por adversários. Durante o debate da Rede TV!, há uma semana, Marina Silva (Rede) confrontou o candidato: “Outro dia, você pegou a mãozinha de uma criança e ensinou a atirar. Você sabe o que a Bíblia diz sobre ensinar uma criança? A Bíblia diz que se deve ensinar à criança o caminho que deve andar. É esse ensinamento que você quer dar ao povo brasileiro?”. 

Araçatuba foi a segunda cidade do interior de São Paulo visitada por Bolsonaro nesta semana. A região é considerada reduto eleitoral do presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin

Na quarta-feira, 22, Bolsonaro esteve em Presidente Prudente, onde atacou o tucano relacionando-o à Lava Jato. “É só comparar minha vida pregressa com a dele. Estou no sétimo mandato como deputado federal e não tenho nenhuma mancha. Ele está na mira da Lava Jato em São Paulo”, afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.