Estadão e Divulgação
Estadão e Divulgação

Russomanno e Covas estão tecnicamente empatados, diz Ibope

Candidato do Republicanos tem 25% das intenções de voto, ante 22% do tucano e atual prefeito; Boulos e França permanecem nas posições seguintes

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2020 | 19h10

A um mês das eleições municipais, Celso Russomanno (Republicanos) e Bruno Covas (PSDB) estão tecnicamente empatados na disputa pela Prefeitura de São Paulo, segundo pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão. Eles têm 25% e 22% das intenções de voto, respectivamente. A seguir estão Guilherme Boulos (PSOL), com 10%, e Márcio França (PSB), com 7%.

Na comparação com a pesquisa anterior, publicada há duas semanas, os dois líderes apenas oscilaram dentro da margem de erro, que é de até três pontos porcentuais para mais ou para menos, mas a distância entre o deputado e apresentador de TV e o atual prefeito da capital passou de cinco para três pontos porcentuais. Covas também conseguiu reduzir em oito pontos porcentuais sua taxa de rejeição –  foi a primeira pesquisa após o início da propaganda eleitoral na televisão, campo em que o prefeito leva vantagem em relação aos adversários.

Entre os demais candidatos, Jilmar Tatto (PT)  passou de 1% para 4%. Artur do Val, conhecido como Mamãe Falei, abrigado no partido Patriota, oscilou de 1% para 2%. Os outros concorrentes ficaram com 1% ou menos.

Covas foi o único candidato com queda na taxa de rejeição. A parcela de paulistanos que não votaria no prefeito de jeito nenhum passou de 31% para 23% em duas semanas. No caso de Russomanno, a taxa foi de 27% para 30%.

O contingente em que Russomanno tem mais vantagem é o dos eleitores evangélicos – lidera por 38% a 17%. Já Covas está na frente entre os católicos, por 29% a 20%.

Há um novo empate técnico na simulação de um segundo turno entre os dois candidatos que neste momento são os preferidos do eleitorado: Covas teria 40%, e Russomanno, 39%.

O Ibope também avaliou a opinião dos paulistanos sobre as administrações do município, do Estado e do governo federal. A gestão de Bruno Covas é considerada boa ou ótima por 31% – quatro pontos porcentuais a mais que há duas semanas. A taxa dos que veem o trabalho do prefeito de São Paulo como ruim ou péssimo foi de 27% para 24%.

Já a administração do governador João Doria (PSDB) é avaliada como ruim ou péssima por 44% dos paulistanos, e como boa ou ótima por 19%. No caso do presidente Jair Bolsonaro, a avaliação é ainda pior: 48% consideram o governo ruim ou péssimo, e 24%, bom ou ótimo.

A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 15 de outubro de 2020, com 1.001 eleitores As entrevistas foram realizadas de forma presencial  –  por causa da pandemia de covid-19, a equipe do Ibope usou equipamentos para proteção da própria saúde e da dos entrevistados.

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerada a margem de erro. O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo SP‐01432/2020

TV Estadão: Candidatos a prefeito respondem qual o maior problema de São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.