Dida Sampaio e Alex Silva/Estadão
Dida Sampaio e Alex Silva/Estadão

Sem Lula, Bolsonaro lidera com 17%, diz CNI/Ibope

Se as eleições 2018 fossem hoje, o deputado federal estaria tecnicamente empatado com Marina Silva (13%), seguido por Ciro Gomes (8%) e Geraldo Alckmin (6%); a margem de erro é 2% para mais e para menos

O Estado de S.Paulo

28 Junho 2018 | 10h08

SÃO PAULO - Pesquisa Ibope em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada na manhã desta quinta-feira, 28, mostra que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) aparece empatado tecnicamente com a ex-ministra Marina Silva (Rede) . Em um cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidenciável do PSL soma 17% das intenções de voto nas eleições 2018, enquanto Marina Silva tem 13%, configurando empate técnico no limite da margem de erro, de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. 

++ Eleições 2018: Doria e Skaf têm empate técnico em São Paulo, diz Ibope

Em seguida, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 8% e Geraldo Alckmin (PSDB), com 6%. O índice de votos brancos e nulos é de 33%. Apesar do empate técnico, Renato da Fonseca, gerente executivo de pesquisa e competitividade da CNI, afirma que Bolsonaro lidera. "Eles têm esse empate porque a margem de erro permitiu isso, mas não significa que são iguais, porque não são, um está maior do que outro", declarou. 

Já em um cenário com a presença do ex-presidente, Lula aparece com 33% das intenções de voto. Bolsonaro vem em seguida, com 15%, e Marina Silva fica em terceiro, com 7%. Ciro Gomes e Geraldo Alckmin empatam com 4%. 

++ Pesquisa Ibope aponta Bolsonaro e Alckmin empatados em São Paulo 

A pesquisa também avaliou a rejeição dos pré-candidatos nas eleições 2018. Jair Bolsonaro, com 32%, e Lula, com 31%, são os primeiros nesse quesito. O ex-governador paulista Geraldo Alckmin tem 22% de rejeição, enquanto Marina Silva e Ciro Gomes têm 18%. 

++ Entenda o que são e quais as diferenças entre o fundo eleitoral e o fundo partidário

A pesquisa Ibope/CNI sobre os presidenciáveis nas eleições 2018 analisou todo o território brasileiro. O levantamento foi feito de 21 a 24 de junho com 2 mil pessoas em 128 municípios. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-02265/2018. A margem de erro é de dois pontos porcentuais. 

Avaliação do governo Michel Temer

A pesquisa também mostrou que a avaliação negativa do governo Michel Temer (MDB) subiu de 72% para 79%, ante a última pesquisa, feita em março e divulgada em abril. Segundo o levantamento, que mediu a popularidade do governo Temer, a avaliação de que o governo é regular foi de 21% para 16%. Na pesquisa, 4% disseram que o governo é ótimo ou bom, ante 5% no levantamento passado. Temer segue como o mais mal avaliado entre os presidentes desde José Sarney. 

++ Eleições 2018: conheça os pré-candidatos à Presidência da República

O levantamento mostrou que a aprovação da maneira de governar de Temer está em 9%, ante 7% no levantamento de março. Já o índice de desaprovação oscilou de 87% para 90% e o total dos que não responderam oscilou de 4% para 3%.

Confira as intenções de voto de todos os candidatos das eleições 2018 em um cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

Jair Bolsonaro (PSL): 17%

Marina Silva (Rede): 13%

Ciro Gomes (PDT): 8%

Geraldo Alckmin (PSDB): 6%

Alvaro Dias (Podemos): 3%

Fernando Haddad (PT): 2%

Flávio Rocha (PRB): 1%

Guilherme Boulos (PSOL): 1%

Henrique Meirelles (MDB): 1%

Levy Fidelix (PRTB): 1%

Manuela D' Ávila (PC do B): 1%

Rodrigo Maia (DEM): 1%

João Goulart Filho: 1%

Outro com menos de 1%: 1%

Brancos/nulos: 33%

Não sabe/não respondeu: 8%

Cenário das intenções de voto nas eleições 2018 com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 33%

Jair Bolsonaro (PSL): 15%

Marina Silva (Rede): 7%

Ciro Gomes (PDT): 4%

Geraldo Alckmin (PSDB): 4%

Álvaro Dias (Podemos): 2%

Manuela D'Ávila (PC do B): 1%

Flávio Rocha (PRB): 1%

Levy Fidelix (PRTB): 1%

Outro com menos de 1%: 2%

Brancos/nulos: 22%

Não sabe/não respondeu: 6%

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.