É falso que ‘The Washington Post’ tenha publicado capa chamando Bolsonaro de ‘melhor presidente de todos os tempos’

É falso que ‘The Washington Post’ tenha publicado capa chamando Bolsonaro de ‘melhor presidente de todos os tempos’

Bolsonaristas espalham uma montagem grosseira de um panfleto satírico que nunca foi publicado pelo jornal dos Estados Unidos

Samuel Lima

04 de outubro de 2021 | 15h00

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro estão espalhando uma montagem grosseira simulando a capa do jornal The Washington Post, dos Estados Unidos, com a manchete fictícia “Bolsonaro is the best brazilian president of all the times and people loves’m (sic)”. O conteúdo sugere que o veículo estaria classificando o atual mandatário como “o melhor presidente brasileiro de todos os tempos“, mas a construção da frase em inglês está totalmente errada e não há registro de capas do Post como a mostrada na imagem.

O Estadão Verifica constatou que o trabalho de falsificação foi feito em cima de outro conteúdo falso que circulou em 16 de janeiro de 2019. Na época, um grupo de ativistas contrários ao então presidente Donald Trump, conhecido como Yes Men, mimetizou o jornal e espalhou milhares de cópias pelas ruas de Washington D.C. 

O panfleto satírico trazia títulos como “Unpresidented: Trump hastily departs White House, ending crisis (Não mais presidente: Trump deixa rapidamente a Casa Branca, acabando com a crise)” e “Celebrations break out worldwide as Trump era ends (Celebrações surgem em todo o mundo com o fim da era Trump)”. 

A manchete principal foi substituída pelos bolsonaristas, assim como a foto de Trump, neste caso, por um registro recente de Bolsonaro em discurso na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Mas os autores não se deram ao trabalho de modificar a segunda frase, sobre as supostas comemorações mundiais contra o ex-presidente republicano — que continua aparecendo, em tamanho menor, na parte esquerda do conteúdo viral.

A foto que serviu de base para a montagem envolvendo Bolsonaro foi tirada pelo fotógrafo Tasos Katopodis e disponibilizada para compra na Getty Images. O Estadão Verifica chegou ao conteúdo por meio de uma pesquisa reversa de imagens e pelas frases mantidas no post viral. Entre os resultados estava uma notícia da revista The New Yorker sobre o episódio de Washington D.C. com a foto de Katopodis. Elementos como o fundo da foto e a disposição das páginas atrás do jornal falso permitem concluir que a montagem brasileira modifica o mesmo material.

Foto usada na montagem bolsonarista era também um conteúdo falso produzido por um grupo de ativistas contrários a Trump. | Foto: Reprodução Getty Images

“Ativistas distribuem ‘Bye-Bye 45’, uma edição satírica do The Washington Post”, descreve o fotógrafo na plataforma, acrescentando que a data informada no cabeçalho da peça era 1º de maio e que ela fazia uma espécie de “previsão”: Trump deixaria o cargo após meses de manifestações lideradas por mulheres na capital dos Estados Unidos, iniciados justamente na data de circulação do panfleto. 

A reportagem pesquisou ainda notícias publicadas pelo The Washington Post sobre o discurso de Bolsonaro na ONU, considerando que a foto usada pelo meme falso se refere a esse evento. Em uma reportagem de 21 de setembro, o Post destaca o fato de Bolsonaro não ter se vacinado contra a covid-19 e ser contra o “passaporte sanitário”, o que acabou criando uma situação “desafiadoramente estranha para um evento que deve se concentrar principalmente na resposta global contra a pandemia”, segundo a publicação. 

O The Washington Post ressalta que Bolsonaro quebrou o “sistema de honra” da Assembleia Geral da ONU ao se negar a tomar a vacina para comparecer ao evento e menciona outros fatos amplamente noticiados no Brasil, como o encontro de Bolsonaro com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, o jantar de pizza nas ruas de Nova York e as críticas diretas do prefeito da cidade, Bill de Blasio. 

O jornal informa ainda sobre a decisão do mandatário em focar o discurso em assuntos internos do Brasil, e não propriamente sobre a pandemia, e a insistência no chamado “kit covid” e no “tratamento precoce”, composto por remédios sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus e que é desaconselhado pelas principais referências da área, como a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

A capa da edição do dia seguinte ao discurso de Bolsonaro pode ser consultada no site agregador PressReader. Assim como na notícia sobre Bolsonaro, não há qualquer registro sobre este ser “o melhor presidente de todos os tempos” ou trechos dizendo que “as pessoas o amam”, como alega o boato.

Capa do jornal ‘The Washington Post’ em 22/09/2021. | Foto: Reprodução PressReader

Capas falsas de jornais surgem com frequência na internet; desconfie

Essa não é a primeira vez que apoiadores do presidente Jair Bolsonaro falsificam capas de jornais estrangeiros. O Estadão Verificadesmentiu uma montagem simulando o The New York Times sobre atos pró-Bolsonaro — a manchete era “Brazil whants do be free (sic)” — e outra sobre uma motociata em São Paulo que apelava para uma falsa capa do Post com o título “Bolsonaro leads the biggest motorcycle tour on the planet”.

O conteúdo analisado nesta checagem foi enviado como sugestão por leitores do blog, através do WhatsApp: (11) 97683-7490. Veja neste link o que podemos checar e a nossa metodologia. Fique atento e desconfie de mensagens alarmistas, que contenham erros ou mostrem alegações sensacionalistas que não aparecem em fontes confiáveis de informação.

Lupa, AFP Checamos e Boatos.org também classificaram esse boato como falso. O conteúdo foi desmentido ainda por Observador e Polígrafo, de Portugal.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.