Para atacar CPI, postagens destacam prisão de esposa de Omar Aziz em 2019
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para atacar CPI, postagens destacam prisão de esposa de Omar Aziz em 2019

Deputada estadual desde 2020, Nejmi Aziz de fato foi presa em operação da PF, mas apenas temporariamente; investigações estão suspensas

Victor Pinheiro

28 de maio de 2021 | 14h39

Conteúdos nas redes sociais espalham mensagens sem contexto sobre a prisão de Nejmi Aziz, deputada estadual do Amazonas e esposa do presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), em 2019. A parlamentar foi presa temporariamente duas vezes, por um período total de cinco dias, no âmbito de uma força-tarefa que investigava desvios de recursos públicos na saúde do Estado.

Os processos da operação encontram-se suspensos e a ex-primeira-dama ainda não foi condenada.

A primeira detenção de Nejmi ocorreu em 19 de julho de 2019, durante a quinta fase da Operação Maus Caminhos, denominada Operação Vertex. Como informou o Estadão na época, a Justiça expediu ao todo nove mandados de prisão temporária e ordenou o bloqueio de 18 contas de pessoas físicas e jurídicas. O episódio resultou no congelamento de cerca de R$ 92,5 milhões em bens dos investigados;

Segundo o Ministério Público Federal, a etapa da força-tarefa foi iniciada a partir de um inquérito instaurado em 2016, no Supremo Tribunal Federal (STF). Um relatório da Polícia Federal cita o nome do senador Omar Aziz (PSD-AM), o que levou a Justiça a investigar pessoas ligadas ao político, entre elas Nejmi. 

O senador Omar Aziz nega irregularidades. Em reportagem recente do Estadão, a assessoria do parlamentar destacou que “não foi produzida prova alguma ou nem mesmo apresentado indício de ligação do político com atividades delituosas”. Procurada pela reportagem, Nejmi não quis se manifestar.

Após duas noites na cadeia, uma liminar expedida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) concedeu a liberdade a Nejmi antes do vencimento do prazo da detenção temporária de cinco dias. No fim do mês, entretanto, a Justiça suspendeu a liminar e a parlamentar teve que cumprir o restante da prisão temporária. 

Em outubro do mesmo ano, um juiz federal suspendeu temporariamente o processo de Nejmi e outros familiares do senador Omar Aziz no âmbito da Operação Vertex, devido a uma ação judicial que acusou conflito de competência. Ao Estadão Verifica, o Ministério Público Federal informou que “ainda não há denúncia ajuizada pelo MPF originada dessa etapa de investigações”.

A instituição ressaltou que os processos relativos à Operação Maus Caminhos se encontram suspensos até que se resolva a controvérsia sobre a competência entre as esferas estadual e federal. A ação tramita no TRF-1. 

Esta não é primeira vez que a prisão temporária de Nejmi Aziz é usada em conteúdos desinformativos nas redes sociais. O Estadão Verificadesmentiu um boato que, de forma enganosa, associa um vídeo de uma mulher sendo retirada de um avião por policiais com a prisão da ex-primeira-dama do Amazonas. 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.