Imagem relaciona informações falsas com verdadeira contra candidatura de Freixo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Imagem relaciona informações falsas com verdadeira contra candidatura de Freixo

Gif traz desinformação sobre apoio a candidatura de acusado de integrar milícia ao lado de informação verdadeira envolvendo doação ao psolista

Paulo Roberto Netto

23 de julho de 2019 | 11h53

O deputado federal Marcelo Freixo discursa na cerimônia de posse na Câmara dos Deputados, em janeiro deste ano. Foto: Ernesto Rodrigues / Estadão (01/02/19)

Um gif circula nas redes sociais com informações falsas e desatualizadas contra a candidatura do deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) à Prefeitura do Rio de Janeiro. A imagem afirma falsamente que o deputado teria apoiado um suspeito de integrar milícias e, em seguida, cita um caso desatualizado sobre um ex-assessor e uma informação verdadeira sobre uma doação à campanha do psolista.

O suspeito citado pelo boato é o ex-candidato Rosemberg Alves do Nascimento, o Berg Nordestino, que tentou se eleger vereador pelo PSOL em 2012. Diferentemente do que é apontado no gif, Freixo não apoiou a candidatura de Berg Nordestino. Pelo contrário, após a revelação das suspeitas de que ele integrava milícias na zona oeste do Rio, o então deputado estadual anunciou a expulsão de Berg Nordestino do partido.

O caso provocou uma crise no PSOL, pois naquele mesmo ano Freixo disputava a Prefeitura do Rio com a bandeira de combate às milícias. Em setembro, o partido apresentou pedido de cassação do registro de candidatura de Berg Nordestino, em meio à campanha eleitoral, mas a solicitação foi negada pelo juiz eleitoral Murilo Kieling.

Ao fim das eleições, Berg Nordestino obteve 476 votos. Ele foi expulso do partido e já não consta na lista de filiados do PSOL no Rio de Janeiro, segundo a base do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em nota, o gabinete do deputado Marcelo Freixo informou que o parlamentar não apoiou a candidatura de Berg Nordestino. “Após a descoberta das relações de Berg, o próprio Freixo pediu a sua expulsão, o que foi feito imediatamente pelo PSOL.”

Em relação a fotos com Berg Nordestino, a assessoria de Freixo afirmou que “como todo candidato a prefeito, ele tirou fotos com diversos candidatos a vereador do partido, que nem sempre conhecia”. A nota prossegue: “Foto não significa apoio. Esse é o caso de Berg Nordestino. Freixo não o conhecia e não sabia das suas relações.”

Dinei

O gif também cita um caso desatualizado de violência doméstica envolvendo um ex-assessor parlamentar de Freixo, Valdinei Medina Machado da Silva, o Dinei. A imagem afirma que ele foi condenado com base na Lei Maria da Penha por agredir a ex-mulher. O boato omite que o processo foi arquivado e Dinei, absolvido em recursos.

Dinei realmente foi condenado à pena de um mês e dez dias de prisão, em regime semiaberto, pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher em julho de 2016. Ele recorreu da decisão em segunda instância, mas teve o primeiro recurso negado em julho de 2017 pela 2ª Câmara Criminal do Rio de Janeiro. Em novembro do mesmo ano, Dinei apresentou novo recurso contra decisão da segunda instância e foi absolvido por falta de provas em novembro de 2017.

Em seu voto pela absolvição de Dinei, a desembargadora Monica Tolledo de Oliveira afirmou não ter encontrado provas suficientes de ameaças proferidas pelo ex-assessor parlamentar contra a ex-mulher.

O processo foi arquivado em junho do ano passado. Em nota, o gabinete de Marcelo Freixo afirmou que Dinei foi afastado da equipe quando foi acusado no processo, ainda em 2016.

Doação

A informação verdadeira presente no gif diz respeito à doação de R$ 120 mil feita pela Victor Hugo Demolições à campanha de Freixo, em 2012. A empresa foi uma das que participaram, posteriormente, da remoção de moradores da Vila Autódromo, na zona oeste do Rio, para obras da Olimpíada.

A doação consta na prestação de contas apresentada por Freixo à Justiça Eleitoral como transferência eletrônica efetuada em 20 de setembro de 2012.

Vista aérea da construção do Parque Olímpico do Rio de Janeiro, em 2015, ao redor da Vila Autódromo, comunidade na zona oeste da capital. Foto: Ricardo Moraes / Reuters

Procurado, o gabinete do deputado Marcelo Freixo respondeu que a campanha do parlamentar recebeu doação de três empresas, incluindo a Victor Hugo Ltda. “Depois o partido amadureceu o debate sobre financiamento de campanha e passou a não aceitar mais doações de empresas, tanto que em 2014 a campanha foi financiada somente por pessoas físicas. Além disso, a doação aconteceu antes da demolição da Vila Autódromo.”

“O mandato de Freixo e a Comissão de Direitos Humanos da Alerj atuaram na linha de frente da luta dos moradores de Vila Autódromo, denunciando as ilegalidades praticadas pela prefeitura e dando aos moradores a assistência necessária”, disse a nota.

Este boato foi selecionado para checagem por meio da parceria entre o Estadão Verifica e o Facebook. Para sugerir verificações, envie uma mensagem por WhatsApp ao número (11) 99263-7900.

Tudo o que sabemos sobre:

Marcelo Freixo

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.