Foto antiga é compartilhada para acusar ONGs de incendiar floresta Amazônica
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Foto antiga é compartilhada para acusar ONGs de incendiar floresta Amazônica

Imagem de 2014 que mostra indígenas prendendo madeireiros ilegais no Maranhão foi compartilhada fora de contexto

Alessandra Monnerat

27 de agosto de 2019 | 18h16

Imagem que mostra indígenas prendendo madeireiros ilegais foi compartilhada fora de contexto para acusar ONGs de incendiar floresta amazônica. Foto: Reprodução/Facebook

É antiga uma foto que tem sido compartilhada nas redes sociais com o objetivo de acusar organizações não-governamentais (ONGs) de serem responsáveis pelas queimadas na floresta Amazônica. Um registro de 2014 que mostra madeireiros sentados no chão com as mãos amarradas, cercados por indígenas, circula no Facebook com a seguinte legenda: “Bolsonaro, quando ele disse suspeitar que ONGs estariam envolvidas nos incêndios da Amazônia. Índios prenderam incendiários no flagrante”.

A imagem mostra, na verdade, um embate entre integrantes da etnia ka’apor e madeireiros ilegais na terra indígena Alto Turiaçu, no nordeste do Maranhão. Os índios fizeram uma operação em 7 de agosto de 2014 para capturar homens que extraíam madeira ilegalmente da região. A investida contra os madeireiros também resultou em cinco caminhões e três tratores queimados. Os registros são do fotógrafo Lunae Parracho, da agência Reuters, que contou a história por trás das imagens nesta reportagem do Estado.

A terra indígena Alto Turiaçu também foi invadida por madeireiros ilegais em outras ocasiões. Em 2016, lideranças ka’apor foram obrigadas a se esconder após serem ameaçados de morte pelos madeireiros. Na época, uma menina de 14 anos desapareceu — os indígenas afirmaram que ela foi levada pelos madeireiros. Em 2018, a Polícia Federal apreendeu 500 metros cúbicos de madeira nobre extraída ilegalmente da reserva.

De acordo com o Instituto Socioambiental (ISA), a terra indígena Alto Turiaçu tem 531 mil hectares de área e população de 1.500 pessoas, de três etnias diferentes: Awá Guajá, Ka’apor e Tembé.

De 1º de janeiro a 20 de agosto, incêndios no País cresceram 84% em relação ao mesmo período do ano passado. Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, sem apresentar provas, que ONGs seriam responsáveis pelas queimadas na floresta Amazônica.

Desde então, publicações nas redes sociais tentam apontar culpados pelos incêndios. Na sexta-feira, 23, o projeto Comprova mostrou que um vídeo de uma mulher indígena que acusava “baderneiros” por uma queimada não era recente nem foi feito na Amazônia. Neste domingo, 25, o Estadão Verifica desmentiu a história de que um homem teria sido pago para colocar fogo nas margens de uma estrada no Amazonas.

Este boato foi selecionado para checagem por meio da parceria entre Estadão Verifica e Facebook. Para sugerir verificações, envie uma mensagem por WhatsApp ao número (11) 99263-7900.

Tendências: