Raquel recorre à ‘proteção de Deus’ quando ‘for colocada à prova’

Raquel recorre à ‘proteção de Deus’ quando ‘for colocada à prova’

Ao tomar posse nesta segunda-feira, 18, procuradora-geral da República prega 'observância do devido processo legal e responsabilidade'

Redação

18 Setembro 2017 | 09h48

Raquel Dodge. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Raquel Dodge, nova procuradora-geral da República, recorreu à ‘proteção de Deus nos momentos em que for colocada à prova’. Em seu pronunciamento de posse, diante de Michel Temer e sem a presença de seu antecessor, Rodrigo Janot – autor de duas flechadas históricas contra o presidente -, ela enfatizou.

“Há novos desafios jurídicos pela frente. Os valores que defenderemos e que definirão nossas ações estão na Constituição. Muito trabalho, honestidade, respeito à lei e às instituições, observância do devido processo legal e responsabilidade são os atributos da cidadania.”

Temer diz a Raquel que ir além dos limites da Constituição é ‘abuso de autoridade’

Harmonia entre poderes é requisito para estabilidade da nação, afirma Raquel

Homem forte de Raquel tira ao menos dois de Janot

Acuado pelas flechadas de Janot, Temer defende ‘preservação da dignidade humana’

Ela disse. “Neste início de mandato peço a proteção de Deus para que, nos momentos em que eu for colocada à prova, não hesite em proteger as liberdades, em cumprir o meu dever com responsabilidade, em fazer aplicar a Constituição e as leis para entregar adiante com segurança o legado que recebo agora.”

Raquel invocou Cora Coralina. “E que eu, então, possa dizer, parafraseando a grande poetisa Cora Coralina de meu amado estado de Goiás, que contribuí para que haja mais esperança nos nossos passos do que tristezas nos nossos ombros.”

Mais conteúdo sobre:

rodrigo janotRaquel Dodge