Em áudio, mulher de Joesley se dispõe a depor por delatado da JBS

Em áudio, mulher de Joesley se dispõe a depor por delatado da JBS

A filha do apresentador Silvio Santos, Patrícia Abravanel, e seu marido, o deputado Fabio Faria (PSD-RN), vão acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar anular parte da delação do ex-diretor de Relações Institucionais do grupo J&F, Ricardo Saud

Fabio Serapião

11 Agosto 2017 | 19h28

Joesley Batista e Ticiana Villas Boas. Foto: Paulo Giandalia/Estadão

A filha do apresentador Silvio Santos, Patrícia Abravanel, e seu marido, o deputado Fabio Faria (PSD-RN), vão acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar anular parte da delação do ex-diretor de Relações Institucionais do grupo J&F, Ricardo Saud. O casal questiona trecho do acordo do executivo em que ele cita suposta reunião na casa do empresário Joesley Batista na qual teria sido acertado o pagamento de propina ao deputado do PSD do Rio Grande do Norte. O caso foi revelado pela repórter Andreia Sadi, da Globo News.

Na sua delação, Saud relatou aos investigadores da procuradoria-geral da República (PGR) ter pago cerca de R$ 10 milhões em propina para o deputado Fábio Faria. O pagamento teria como contrapartida a conquista, por uma empresa do Grupo J&F, do controle do serviço de água e esgoto no Rio Grande do Norte. Segundo Saud, o pagamento teria sido efetuado, mas a J&F desistiu do contrato.


OUTRAS DO BLOG: + O jatinho de excelência dos sonhos de Pezão

Rita Lee terá de indenizar PM ofendido durante show

Salários acima do teto são ‘fraude’, diz Barroso

Senador diz à polícia que hackers invadiram seu Twitter e curtiram fotos de mulheres nuas

“Em face da afirmação de Ticiane, esposa de Joesley Batista, maior acionista do grupo JBS, que textualmente disse que as declarações do diretor do Grupo Ricardo Saud não são verdadeiras, vamos peticionar perante o STF, para a Ministra Rosa Weber, para que ela análise a validade da colaboração do diretor”, afirmou o advogado do casal, o criminalista José Luis Oliveira Lima.

A afirmação citada pelo advogado foi por meio de uma mensagem de voz no celular enviada pela esposa de Joesley Batista, Ticiana Vilas Boas, para Patrícia Abravanel. A mensagem é de 1º de junho. No áudio, a esposa de Joesley afirma que poderia ser testemunha da esposa do deputado porque a delação é um “absurdo” e o encontro citado por Saud em sua delação “foi um jantar normal, eu não vi nada de dinheiro, de nada que beirasse ser ilícito”.

“Oi, Pati, sou eu, Tici. Estou ligando para você e mandando essa mensagem para te falar do meu apoio, que eu estou do seu lado. quer dizer, não existe lado nessa história. Estou fora do país, já tem um tempo, como já tinha te falado e optei por não ver notícia, não ver televisão, estou péssima, me magoa muito. Mas me mandaram um print de notícias relacionadas a você, que parece que um executivo da JBS falou que você estava num jantar de propina, uma loucura total. E hoje recebi outro print de que você vai ter que depor”, conta Ticiane.

Ainda no áudio, a esposa de Joesley, que também é apresentadora de TV, se dispõe a depor caso a filha de Silvio Santos seja chamada pela Polícia Federal. “Então, o que eu quero falar é que eu acho um absurdo isso tudo… que está acontecendo. Aquele jantar, imagina só, não tem nada a ver… do que falaram, foi um jantar normal, eu não vi nada de dinheiro, de nada que beirasse ser ilícito… Se você for chamada para depor ou tiver qualquer tipo de implicação para você, eu sou sua testemunha de defesa e vou deixar claramente que é um absurdo”, diz Ticiane na mensagem a que o Estado também teve acesso.

COM A PALAVRA, O GRUPO J&F

Nenhum dos colaboradores mentiu em qualquer depoimento prestado à Procuradoria Geral da República e ao Ministério Público Federal. Os colaboradores apresentaram grande número de informações e provas à PGR e em atendimento aos demais ofícios do MP, que estão sendo tratados dentro dos trâmites legais. Sobre a questão trazida pela reportagem, é importante esclarecer que o fato ocorreu na data e evento conforme relatados, em conversa reservada, sem a participação nem conhecimento das esposas. Os colaboradores continuam à disposição para cooperar com a Justiça.

COM A PALAVRA, TICIANA VILAS BOAS

Ticiana Villas Boas confirma a veracidade da mensagem de voz que enviou em apoio a amiga e colega de trabalho Patricia Abravanel. E diz que, como revela o áudio, nem ela nem Patrícia, durante o período em que estiveram juntas no jantar em sua casa, presenciaram qualquer conversa com conteúdo ilícito. Em vários momentos do encontro, os casais se dividiram em grupos de homens e mulheres, e Ticiana imaginou que Patrícia, assim como ela, não sabia que nas conversas entre os maridos eles trataram de propina. Por isso ela se solidarizou e se dispôs a defendê-la caso fosse necessário, com a intenção de evitar que Patrícia fosse envolvida no caso.

COM A PALAVRA, JOESLEY BATISTA E RICARDO SAUD

“Os colaboradores Ricardo Saud e Joesley Batista mantêm o que disseram à PGR em relação ao jantar de acerto de propinas com líderes do PSD. Ricardo e Joesley, conforme já contaram em depoimentos aos procuradores, reuniram-se com Robson Farias e Fábio Farias, do PSD, para discutir apoio financeiro à campanha de ambos, em troca de benefícios ilegais do governo do Rio Grande do Norte a uma empresa do grupo J&F. O encontro, um jantar na residência de Joesley em São Paulo, em 2014, contou com a presença das esposas de Fábio Faria e de Joesley. A conversa sobre as propinas para campanhas de Robson Faria e Fábio Faria, no entanto, transcorreu sem a presença das duas. Joesley, Ricardo Saud, Fabio Faria e Robson Faria acertaram os detalhes das propinas num ambiente à parte, antes do jantar, enquanto as esposas conversavam noutro espaço da casa. As duas não foram testemunhas das tratativas. Não tinham como saber, portanto, o que foi ou não foi discutido entre eles.”

COM A PALAVRA, O ADVOGADO DO CASAL FABIO FARIA E PATRÍCIA ABRAVANEL, JOSÉ LUIS OLIVEIRA LIMA

Interessante que somente após o áudio da sua esposa vir a público,  é que Joesley Batista pensa em esclarecer esse fato ao MPF. Interessante, também, que no longo áudio que Ticiane encaminhou a Patrícia Abravanel, em momento algum ela faz menção a eventual separação dos integrantes do jantar em ambientes da casa, inclusive cita os assuntos que trataram. Ticiane desmente categoricamente Ricardo Saud, invalidando a sua fala. Vamos requerer que o STF análise esses e outros fatos.

Mais conteúdo sobre:

JBSoperação Lava Jato