André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Novo Coaf: quem é o presidente Ricardo Liáo

Ricardo Liáo tem 64 anos e é servidor de carreira do Banco Central; ele já fazia parte da cúpula do Coaf, que passa a se chamar Unidade de Inteligência Financeira

Vinícius Passarelli, especial para O Estado

21 de agosto de 2019 | 14h33

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, anunciou nesta terça-feria, 20, o nome do economista Ricardo Liáo como o presidente do “novo Coaf”, que passa a se chamar Unidade de Inteligência Financeira (UIF). O governo federal publicou uma Medida Provisória que reestrutura o órgão de controle e o transferiu do Ministério da Economia para o Banco Central

Ele assume a presidência do órgão em substituição a Roberto Leonel, que havia sido indicado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, devido aos seus trabalhos nas investigações da Operação Lava Jato.

Ricardo Liáo tem 64 anos e é servidor aposentado do Banco Central. Ele já integrava a cúpula do Coaf, desde abril de 2013, quando assumiu o cargo de secretário-executivo do órgão, atuando na supervisão, gestão e tecnologia da informação. Antes disso, entre 1998 e 2013, integrou o quadro de servidores do Coaf como membro do Banco Central. Desde janeiro deste ano, era secretário-executivo do Coaf. Liáo é o único servidor de carreira do BC que integrava o órgão, todos os outros eram da Receita Federal.

Antes de integrar a cúpula do Coaf, Liáo chefiou no órgão áreas de combate a ilícitos cambiais e financeiros e integrou a área técnica de Combate a Ilícitos Financeiros e Supervisão de Câmbio e Capitais Internacionais (Decic). 

Liáo é carioca e formado em ciências econômicas e ciências sociais aplicadas. Iniciou a carreira no BC como assessor do Departamento de Fiscalização. Posteriormente, foi chefe adjunto e consultor da autoridade financeira. Sua nomeação à frente do “novo Coaf” é uma sinalização do Ministério da Economia de continuidade nos trabalhos do órgão, que com a reestruturação passou a permitir que o plenário do conselho seja formado por indicações políticas. Antes, somente servidores públicos federais poderiam compor o conselho, que toma as principais decisões do órgão. 

A indicação de Liáo foi a primeira dentro da nova formulação que passa a atribuir a responsabilidade de nomear o presidente do novo Coaf exclusivamente ao presidente do Banco Central. Antes da mudança, o nome do presidente do órgão era indicado pelo Ministério da Economia, mas passava pelo crivo do presidente da República para ter a nomeação efetivada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.