Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Candidatura única da esquerda para Câmara não acontecerá, diz Orlando Silva

'Todo mundo sabe que não acontecerá, mas cada um fala para sua rede', afirmou o líder do PCdoB na Câmara dos Deputados

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2019 | 14h43

O líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, deputado Orlando Silva (SP), afastou a possibilidade de os partidos de esquerda se unirem em torno de uma candidatura única para a presidência da Casa em fevereiro.

"Vai voltar a fase em que grandes líderes vão lançar uma campanha por uma candidatura única da esquerda para presidência da Câmara. Igual foi para presidente. Todo mundo sabe que não acontecerá, mas cada um fala para sua rede. E ganha likes", escreveu o parlamentar no Twitter, chamando a tentativa de uma candidatura única de "temporada" deflagrada pela decisão do PSL de apoiar a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na Casa.

Ainda de acordo com o líder do PCdoB, o acordo do PSL com Maia revelou uma movimentação do partido do presidente Jair Bolsonaro. "O PSL descobriu que não basta ter 50 deputados. Se ficar falando apenas para as redes sociais, ficarão totalmente à margem do funcionamento real da Câmara. E sofrerão derrotas seguidas." O apoio do partido de Bolsonaro surpreendeu partidos de oposição

PSOL

Nesta quinta, o deputado federal eleito Marcelo Freixo (PSOL-RJ) confirmou sua candidatura para a disputa pela presidência da Câmara. "Sou candidato à presidência da Câmara dos Deputados por um amplo campo republicano e democrático que lutará para resgatar o espírito da Constituição. Vamos enfrentar a agenda de Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia que aprofundará ainda mais as desigualdades no país", afirmou Freixo pelo Twitter.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.