Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro está de salto alto e arrogante, diz Alckmin

Em evento na Bahia, pré-candidato tucano rebate concorrente do PSL

Yuri Silva, O Estado de S.Paulo

07 Junho 2018 | 22h28

SALVADOR - O pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, rebateu nesta quinta-feira, 7, o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, afirmando que ele “arrogante”. “Ele está de salto alto e arrgogante. Eu vou com minha sandália da humildade”, disse o tucano na Assembleia Legislativa da Bahia, em Salvador, após cerimônia em que recebeu o título de cidadão baiano.

+ 'Quando atingir dois dígitos, ele liga para mim', diz Bolsonaro sobre convite de Alckmin

A declaração é uma tréplica ao deputado federal, que no mesmo dia ironizou o desempenho do tucano nas pesquisas, abaixo dos 10% dos votos. “Não tenho tempo para perder com Alckmin. Quando ele atingir dois dígitos, ele liga para mim", disse Bolsonaro, em Aracaju (SE).

Na véspera, Alckmin afirmou, no Twitter, que não conhecia as propostas de Bolsonaro para a segurança pública. E convidou o pré-candidato do PSL para um debate sobre o tema, o que motivou a reação do deputado.

+ Alckmin precisa de um bom desempenho em São Paulo para não repetir erro de Aécio, dizem aliados

A troca de farpas entre os dois pré-candidatos acontece após o tucano deixar de lado o seu jeito conciliador e definir Bolsonaro como alvo em seus discursos. O objetivo da estratégia é descontruir o concorrente, que lidera as pesquisas de intenção de votos nos cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato.

Na Bahia, um dos principais redutos petistas, Alckmin visitou o município de Barra, às margens do Rio São Francisco e palestrou na Faculdade de Direito da UFBA antes de receber o título de cidadão baiano. A solenidade de entrega da honraria foi uma forma encontrada pelo PSDB para promover um ato político para que o pré-candidato transmitisse suas ideias à classe política local e a empresários.

+ Alckmin define Bolsonaro como alvo

Para isso, a legenda precisou “desenterrou” um título de cidadão baiano aprovado há 10 anos. A proposta é do deputado federal Paulo Azi, quando ainda ocupava uma cadeira no legislativo baiano. Também assinaram a proposição, à época, os parlamentares Adolfo Viana (PSDB) e Elmar Nascimento (DEM) – hoje também deputado federal.

Viana foi o responsável por resgatar a pauta dos arquivos da Assembleia. A ideia do ato político surgiu na reunião em Brasília, no final de maio, em que se discutiu o apoio dado pelo PSDB ao pré-candidato do DEM ao governo da Bahia, José Ronaldo. A negociação garantiu palanque para Alckmin no Estado mesmo sem candidato tucano ao governo.

+ Em visita a Salvador, Alckmin defende reforma progressiva de imposto

No início do ano passado, o ex-prefeito de São Paulo e pré-candidato ao governo paulista João Dória (PSDB) usou do mesmo expediente, quando recebeu o título de Cidadão de Salvador. Na ocasião, foi atingido por um ovo quando se dirigia a pé à Câmara de Vereadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.