Dida Sampaio / Estadão
Dida Sampaio / Estadão

Bolsonaro afirma que nome de Aras deve passar pelo Senado 'sem problemas'

Presidente fez declaração após celebrações do 7 de setembro na Esplanada dos Ministérios, em Brasília

Patrik Camporez, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2019 | 14h02

BRASÍLIA - Pouco depois de desfilar em carro aberto na Esplanada dos Ministérios em Brasília, durante as celebrações do 7 de Setembro, o presidente Jair Bolsonaro disse acreditar que o nome de Augusto Aras, indicado para ser o novo chefe da Procuradoria-Geral da República (PGR), será aprovado sem problemas pelo Senado Federal.

Aras é subprocurador-geral da República e foi indicado por Bolsonaro na quinta-feira, 5. Ele não fazia parte da lista tríplice formada a partir de eleição interna da categoria. Antes de ser nomeado, terá que passar por sabatina no Senado. "Acredito que ele (Aras) passe no Senado sem problemas", disse o presidente.

Bolsonaro afirmou ainda que os vetos que impôs a 19 artigos da Lei de Abuso de Autoridade - alcançando 36 dispositivos - foram recomendados por sua equipe ministerial. "Os vetos foram quatro pessoas que fizeram: da Justiça, Advocacia-Geral da União, Controladoria-Geral da União e Secretaria de Governo. Eu acolhi na íntegra e eles acordaram entre si", disse. "Foi tudo bem essa semana, PGR, vetos."

O texto da Lei de Abuso de Autoridade foi aprovado na Câmara dos Deputados em agosto, dois meses depois de ter recebido aval dos senadores. Ela tinha 44 artigos e previa punição a agentes públicos, incluindo juízes e procuradores, em uma série de situações. No Congresso, parlamentares da base governista e da oposição já articulam a derrubada dos vetos determinados pelo presidente.  

O desfile foi o último compromisso oficial de Bolsonaro antes de embarcar para São Paulo, às 18h. Na capital paulista, o presidente passará por uma cirurgia para retirada de uma hérnia -  consequência de três cirurgias anteriores, após o ataque que sofreu em 6 de setembro do ano passado, quando tomou uma facada durante a campanha eleitoral.

A transmissão do cargo para o vice-presidente Hamilton Mourão acontece amanhã, 8, segundo o próprio presidente. Mourão fica no cargo até quinta-feira, 12. "Espero voltar antes, mas acho difícil. Espero que a cirurgia corra bem. Estou seguindo o que pedem os médicos", disse Bolsonaro, após a celebração do Dia da Independência.

Sobre o desfile em Brasília, o presidente disse ter ficado impressionado com a receptividade da população à sua presença. "Fui muito bem cumprimentado e saudado. Fiquei muito feliz com o calor do povo, por ocasião desta data tão importante para o Brasil. Parabéns ao povo brasileiro, que parece que renasceu e voltou a comemorar essa data tão importante para todos nós".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.