Adriano Machado / Reuters
Adriano Machado / Reuters

Após Bolsonaro defender Ramagem na PF, novo AGU afirma que não vai recorrer de decisão do STF

Mais cedo, presidente afirmou que o 'sonho' de nomear Alexandre Ramagem se concretizará em breve, sem deixar claro de que forma isso será feito

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2020 | 19h05

BRASÍLIA - Após o presidente Jair Bolsonaro indicar que vai insistir na indicação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal, o novo advogado-geral da União, José Levi, reforçou que o órgão não prevê a apresentação de recurso junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para reverter a decisão que cancelou a nomeação. "Já foi dito que não", disse Levi ao ser questionado por jornalistas no Palácio do Planalto.

Indagado sobre o discurso do presidente na posse, o novo advogado-geral da União disse que o presidente "não disse isso", em referência a um eventual recurso. Na fala, Bolsonaro afirmou que o "sonho" de nomear Ramagem se concretizará em breve, sem deixar claro de que forma isso será feito.

Antes da cerimônia de posse de Levi e do novo ministro da Justiça, André Mendonça, a Advocacia-Geral da União divulgou uma nota para dizer que não vai recorrer da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que suspendeu a nomeação de Ramagem.

"A Advocacia-Geral da União informa que não irá apresentar recurso contra a decisão do STF que suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para a direção-geral da Polícia Federal em razão do decreto presidencial publicado à pouco no DOU que revoga o ato de nomeação", informou.

Pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro cancelou o ato de nomeação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.