Marcos Vieira/Divulgação
Marcos Vieira/Divulgação

Metade dos pré-candidatos ao governo mineiro não confirmou vice

Atual governador e ex-prefeito de Belo Horizonte esperam negociações nacionais para definir composição de chapa

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

13 Junho 2018 | 14h17

BELO HORIZONTE - Entre as oito pré-candidaturas anunciadas para o governo de Minas Gerais, quatro ainda não definiram nomes dos vices. O atual governador, Fernando Pimentel (PT), o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) e o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM) ainda estão em negociação para confirmar a composição de suas chapas. O MDB, que continua afirmando que terá candidatura própria, também não tem definição quanto ao possível vice. Esta semana, Marcos Montes (PSD) foi anunciado vice na chapa de Antonio Anastasia (PSDB) e Paulo Brant (Novo) será o vice de Romeu Zema (Novo).

Pimentel espera as negociações do PT em nível nacional para confirmar com quem comporá sua chapa. “Temos discutido com vários partidos, dentro da lógica de ampla aliança nacional", disse ao Estado a presidente estadual do PT, Cida de Jesus. Uma das possibilidades é a indicação do empresário Josué Alencar, que se filiou ao PR. 

Lacerda está em uma situação semelhante. Cotado para ser candidato a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes (PDT), o pesebista afirma que espera a definição dos partidos que estarão na coligação em Minas Gerais. Caso a candidatura de Lacerda ao governo de Minas se confirme, o nome do deputado federal Jaime Martins (PROS) é cotado para ser vice.

"O Jaime estará em nossa chapa majoritária, mas não falamos de posição", declarou o ex-prefeito, que continua negando que exista uma negociação entre PSB e PT para que ele apoie a candidatura à reeleição de Pimentel. 

++ 'É tudo que queremos', diz Alckmin sobre aliança com DEM

Na última semana, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, teria dito a interlocutores que Lacerda e Josué Alencar seriam um bons nomes para ser seu vice na disputa presidencial.    

Rodrigo Pacheco, presidente do DEM em Minas, afirmou que gostaria de ter como uma mulher como vice. O deputado considera importante ter uma representação feminina na chapa e espera que o nome venha de alguns dos partidos que estão com negociação avançada para compor a coligação. PP, PEN, AVANTE, PTC e PMB têm conversas avançadas com o pré-candidato.  

O MDB ainda não confirmou quem será o pré-candidato do partido ao governo. A sigla se divide entre três nomes para a disputa ao Palácio da Liberdade: o presidente da Assembleia Legislativa de Minas, Adalclever Lopes, o atual vice-governador do Estado, Antonio Andrade, e o deputado federal Leonardo Quintão.

++ Maia cogita aliança com Ciro Gomes no segundo turno

Na segunda-feira, 11, o deputado federal do PSD Marco Montes, ligado à bancada ruralista e com representatividade no Triângulo Mineiro, foi anunciado como vice na chapa do tucano Anastasia. No mesmo dia, o Novo oficializou o economista Paulo Brant como vice de Romeu Zema. 

Os primeiros partidos a definir os nomes dos pré-candidatos a vice foram o PSOL e a Rede. Dirlene Marques (PSOL) terá como companheira de chapa a professora Sara Azevedo, enquanto João Batista Mares Guia (Rede) terá como vice o empresário de Juiz de Fora Eduardo Lucas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.