Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Com três menções a Bolsonaro, jingle de Russomanno tem tom gospel; ouça

Peças vão ao ar em São Paulo nesta sexta-feira, estreia do horário político das eleições 2020

Pedro Venceslau e Paula Reverbel, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2020 | 13h37

Com três menções a Jair Bolsonaro, o jingle de campanha do deputado federal Celso Russomanno (Republicanos), candidato à Prefeitura de São Paulo nas eleições 2020, apresenta tom gospel e não utiliza a expressão "defensor do consumidor", preterida por "defensor do povo".

"Com Russomanno e Bolsonaro, quem ganha é a nossa cidade", diz um trecho da música. A frase é muito semelhante ao slogan da campanha, segundo o qual São Paulo sai ganhando com apoio presidencial. Já no refrão, repetido duas vezes, consta o trecho "e Bolsonaro apoiando". O jingle vai ao ar no horário político das eleições 2020, que começa nesta sexta-feira, dia 9.

Apesar da rejeição do governo Bolsonaro de 47% da paulistanos, de acordo com levantamento do Ibope de setembro, Russomanno, que lidera as pesquisas de intenção de voto, aposta no apoio presidencial para conseguir chegar ao segundo turno. Nas eleições de 2012 e 2016, ele começou a disputa na liderança, mas se desidratou e perdeu ainda no primeiro turno. Sua liderança é em parte explicada pela visibilidade que tem em programas de televisão na TV Record.

De cada bloco de 10 minutos de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV, o deputado terá direito a 51 segundos nos blocos. Além disso, ele terá sete inserções diárias de 30 segundos no decorrer da programação da TV aberta. Trata-se do candidato com o quinto maior tempo de antena, atrás de Bruno Covas (PSDB), Márcio França (PSB), Jilmar Tatto (PT) e Joice Hasselmann (PSL).

A chancela de Bolsonaro à candidatura de Russomanno foi confirmada por ambos na última segunda-feira, dia 5. Mesmo antes disso, os dois já vinham sinalizando que a campanha do deputado contaria com apoio presidencial ainda no primeiro turno e o parlamentar só ingressou de fato na disputa após encontros com o mandatário onde ambos trataram do assunto. Em convenção confirmada no último dia do prazo em que o evento poderia ser realizado, dia 16 de setembro, o parlamentar anunciou uma aliança com o PTB e atraiu o ex-presidente da OAB-SP, Marcos da Costa, para a vaga de vice. A composição Republicanos-PTB reforçou o vínculo da chapa com o bolsonarismo.

Nas agendas e nos debates, Russomanno tem dito que o apoio do presidente permitirá a criação de um auxílio emergencial paulistano, que seria pago a moradores da cidade de São Paulo que hoje recebem o auxílio emergencial. A ajuda do governo federal viria na forma de uma nova renegociação da dívida da cidade de São Paulo, débito já foi renegociado na gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) e vem sendo pago em dia pela gestão de Bruno Covas (PSDB).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.