PF investiga segundo suspeito de ataque a Bolsonaro

PF investiga segundo suspeito de ataque a Bolsonaro

Investigação mostra que detido não teria ligação com ataque ao candidato, mas incitação à violência

Fabio Serapião, Fausto Macedo e Julia Affonso

07 Setembro 2018 | 09h34

Foto: FABIO MOTTA/ESTADÃO

A Polícia Federal informou nesta sexta-feira, 7, que um segundo suspeito de envolvimento no ataque contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) ‘foi detido, ouvido e liberado, mas que segue na condição de investigado’. A investigação mostra que o detido não teria ligação com o ataque ao candidato, mas incitação à violência.

Bolsonaro foi golpeado no abdome durante uma caminhada em Juiz de Fora (MG). Seu agressor, Adélio Bispo Oliveira, foi preso em flagrante. Disse ter agido ‘por conta própria’. O presidenciável foi operado e está fora de perigo.

Por volta das 8h20 desta sexta, Bolsonaro deixou a Santa Casa de Juiz de Fora, onde passou a noite na UTI após ser submetido a cirurgia. Ele está sendo transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Um médico do hospital o acompanha na viagem, que deve durar uma hora.

Atingindo por uma facada no abdome durante ato de campanha na tarde de quinta-feira, Bolsonaro tinha previsão inicial de ficar pelo menos até a tarde desta sexta na Santa Casa antes de ser removido. Mas uma avaliação médica no início da manhã acabou autorizando sua transferência mais cedo.

Mais conteúdo sobre:

Jair Bolsonaro