“Não temos nada a temer”, afirma Alckmin, sobre boatos em torno de delação

“Não temos nada a temer”, afirma Alckmin, sobre boatos em torno de delação

Candidato à Presidência pelo PSDB, o ex-governador refutou rumores de que teria sido citado em colaboração de Laurence Casagrande, ex-secretário de Logística e Transportes denunciado por supostos desvios na Dersa

Marcelo Osakabe

07 Agosto 2018 | 22h47

FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

SÃO PAULO – O candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, refutou nesta terça-feira, 7, rumores de que poderia ter sido citado em uma suposta delação do ex-secretário Laurence Casagrande e disse que a prisão de um ex-subordinado não deve atrapalhar a campanha tucana.

Defesa de Laurence diz que delação ‘é mentira nojenta’

“Quero dizer primeiro que defendemos toda a investigação e que toda experiência que tivemos com Laurence Casagrande foi de uma pessoa correta. Quando assumi o governo, coloquei um procurador do Estado na secretaria de Logística e ele escolheu Casagrande. Não temos nada a temer”, disse o ex-governador de São Paulo, após participar de evento do GovTech, em São Paulo.

PF aponta ‘responsabilidade criminal’ de Laurence Casagrande
‘É lamentável o ataque sem trégua a um homem de bem’

Alckmin afirmou ainda que não foi citado em nenhuma delação.

Nesta terça-feira, 7, rumores de que Laurence, que também foi presidente da Dersa, teria citado Alckmin em uma eventual delação circularam nas mesas de operação do mercado financeiro e ajudaram a bolsa a cair e o dólar a subir.

Laurence elevou ‘arbitrariamente’ valores do Rodoanel Norte, acusa Lava Jato
Lava Jato agora mira lavagem e corrupção no trecho norte do Rodoanel

Questionado se não acha que teria sido aventado por operadores buscando lucrar com um boato, Alckmin disse que não poder fazer esse tipo de afirmação. “Mas que é estranho, é”, limitou-se a comentar.