Desembargador autoriza investigação criminal sobre deputado Fernando Cury por assédio a Isa Penna

Desembargador autoriza investigação criminal sobre deputado Fernando Cury por assédio a Isa Penna

Cury foi flagrado em vídeo de câmera de segurança da Assembleia Legislativa de São Paulo passando a mão sobre o corpo de deputada

Samuel Costa

19 de janeiro de 2021 | 08h55

Trecho do vídeo exibido em plenário. Foto: Alesp / Reprodução

O desembargador João Carlos Saletti, do Tribunal de Justiça de São Paulo, autorizou a abertura de investigação criminal do deputado estadual Fernando Cury (Cidadania), que apalpou o corpo de Isa Penna (PSOL), também parlamentar da Assembleia Legislativa de São Paulo. Saletti determinou que a presidência da Casa legislativa entregue à Justiça as filmagens que mostram o deputado assediando a colega de legislatura. Além disso, foi solicitado que os deputados Cauê Macris (PSDB), Carlos Eduardo Pignatari (PSDB), Alex de Madureira (PSD), Barba (PT), Gilmaci dos Santos Barbosa (Republicanos), Roberto Morais (Cidadania), Carlos Giannazi (PSOL), Ricardo Melão (MDB), André Prado (PSC) e as deputadas Érica Malunguinho (PSOL) e Professora Bebel (PT) prestem depoimento, na condição de testemunhas do fato. A decisão acolhe o pedido realizado pela Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo.

FERNANDO CURY NA MIRA DA JUSTIÇA

O assédio ocorreu no dia 16 de dezembro de 2020, durante uma sessão parlamentar em que a deputada Isa Penna conversava com o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Cauê Macris (PSDB). Nas imagens é possível verificar que Cury aborda a deputada pelas costas e passa a mão no lado direito do corpo da parlamentar. Penna registrou boletim de ocorrência e já prestou depoimento para a Justiça. À época, o deputado afirmou que não teve a intenção de assediar a colega, alegou que tinha o objetivo de “abraçá-la”. “Eu não fiz nada disso, não fiz nada de errado. O que eu fiz foi abraçar. Vocês viram o vídeo”, afirmou. 

O Conselho de Ética do Cidadania,  partido de Cury, Cidadania, repudiou o ato e recomendou a expulsão do parlamentar da legenda. Em posicionamento emitido no último dia 10, a sigla afirmou que o comportamento do deputado estadual é descabido.   “Na direção totalmente oposta dos fatos ocorridos está o Cidadania, que tem em seu programa o compromisso assumido com as bandeiras feministas contra a violência e a exclusão. Por isso, nada menos que sermos exemplares”, escreveu Mariete de Paiva Souza, relatora do procedimento do Conselho.

Assista ao vídeo:

COM A PALAVRA, FERNANDO CURY

A defesa do deputado estadual Fernando Cury ainda não tomou conhecimento da íntegra da decisão de desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo.

No entanto, reitera que o parlamentar irá provar que jamais existiu crime de importunação sexual e que ele nunca teve a intenção de constranger a nobre deputada Isa Penna ao abraça-la.

Através de prova pericial das imagens captadas pelas câmeras da Assembleia Legislativa, a defesa demonstrará, inclusive, que não houve apalpação de seio, mas, exclusivamente, um abraço sem malícia, sem conotação sexual e sem discriminação de gênero.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.