Alesp / Reprodução
Alesp / Reprodução

Isa Penna denuncia Fernando Cury por assédio sexual na Alesp

Em vídeo, parlamentar aparece colocando a mão nos seios da deputada; Cury pediu desculpas, mas disse não ter feito 'nada de errado'

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2020 | 19h49

A deputada estadual Isa Penna (PSOL) registrou um boletim de ocorrência nesta quinta-feira, 17, contra o deputado Fernando Cury (Cidadania) por assédio sexual durante sessão plenária da noite de quarta-feira, 16.

O vídeo do episódio foi transmitido ao vivo pelo canal da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) no YouTube. Nele, a parlamentar aparece conversando com o presidente da Casa, Cauê Macris (PSDB), quando Cury se aproxima da Mesa Diretora e se posiciona atrás da deputada, colocando a mão na lateral de seus seios. Em seguida, Isa empurra o deputado para afastá-lo de seu corpo.  

"Ontem, aqui nessa Casa, na frente da sua Mesa, eu fui assediada. Eu fui apalpada na lateral do meu corpo pelo deputado Fernando Cury, do partido Cidadania", relatou Isa em sessão nesta quinta-feira, 17. A deputada afirmou que, além do boletim de ocorrência, vai fazer uma representação contra o parlamentar. "Certamente não é um caso isolado. A gente vê a violência política e institucional a todo momento contra as mulheres. O que dá o direito a alguém de encostar em uma parte do meu corpo íntima?", discursou ela.

O vídeo foi transmitido na sessão desta quinta-feira, 17, após muita insistência de Isa e da bancada do PSOL e do PT. O presidente Cauê Macris se recusou por diversas vezes a exibir a filmagem, alegando ser uma regra do regimento e não ser possível abrir uma exceção. A deputada criticou a postura que chamou de "omissão" e "silêncio". A liberação veio apenas depois da anuência dos líderes partidários.

'Abraço'

Na sessão desta quinta, o deputado Fernando Cury disse que está "muito constrangido" e "triste" pelo "julgamento feito" no plenário. "Gostaria de frisar que não houve, de forma alguma, tentativa de assédio, de importunação sexual ou qualquer outra coisa", disse ele. O deputado se desculpou pelo que chamou de "abraço" e disse que faz isso "com diversas colegas" da Casa.

Apesar de ter pedido desculpas, Cury afirmou não ter feito nada de errado."Eu nunca ia fazer isso na frente de 100 deputados", disse ele. "Eu não fiz nada disso, não fiz nada de errado. O que eu fiz foi abraçar. Vocês viram o vídeo."Em nota, a Alesp declarou que "com a denúncia da deputada, o Conselho de Ética fará avaliação do caso".

Ofício

O Observatório de Candidaturas Femininas da OAB São Paulo oficiou a Comissão de Ética da Alesp para que tome "providências" e apure "conduta indicadora de quebra de decoro parlamentar" do deputado Fernando Cury, o que prevê a possibilidade de perda de mandato eletivo. 

"Nos parece ser inadmissível que um Deputado Estadual pratique atos atentatórios contra a mulher, em evidente assédio, abuso e para além da violência política de gênero", disse o documento obtido com exclusividade pelo Estadão e assinado pela coordenadora do Observatório, Maíra Recchia.

Segundo o texto, a postura do deputado é "gravíssima" e merece investigação aprofundada pelo Conselho de Ética. "Não se pode mais tolerar que, além de estarem expostas à violência emocional, física, financeira, sexual, obstétrica e tantas outras violências experimentadas diariamente por algumas mulheres, nos deparemos novamente com a mais velada delas: a violência política praticada contra as eleitas, verdadeiras representantes do povo."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.