Advogados de Lula dizem que vão enfrentar ‘com fundamento na lei’ os pedidos de impugnação

Advogados de Lula dizem que vão enfrentar ‘com fundamento na lei’ os pedidos de impugnação

Defensores do ex-presidente, preso e condenado na Lava Jato, também afirmam que não têm 'objeção' ao ministro Luís Roberto Barroso, relator do registro do petista no TSE

Rafael Moraes Moura / BRASÍLIA

15 Agosto 2018 | 23h06

Lula. FOTO: DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado e preso na Operação Lava Jato, divulgaram na noite desta quarta-feira, 15, uma nota em que afirmam que “vão enfrentar com fundamento na lei” os pedidos de impugnação de registro do petista.

“Os advogados do ex-presidente Lula vão enfrentar com fundamento na lei os pedidos de impugnação do registro de sua candidatura presidencial, tanto os já apresentados como os que venham a ser apresentados à Justiça Eleitoral”, diz a nota.

Nesta quarta, após o PT registrar Lula ao Planalto, a procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, decidiu contestar a candidatura. Os candidatos a deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), líder do Movimento Brasil Livre (MBL), e Alexandre Frota (PSL-SP) também entraram com ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para barrar a candidatura do ex-presidente.

Sobre a contestação à distribuição do processo de registro para o ministro Luís Roberto Barroso, vice-presidente do TSE, antecipada pelo Broadcast Político, os advogados de Lula informaram que não têm “qualquer objeção” ao nome do ministro.

“A manifestação técnica apresentada nesta quarta-feira apenas consignou dúvida em relação à prevenção do ministro Admar Gonzaga, com o único objetivo de evitar eventuais nulidades. O ministro Barroso nunca se pronunciou publicamente sobre o tema”, afirma o comunicado.

Para petistas, o registro deveria ter sido encaminhado ao ministro Admar Gonzaga, relator das ações do MBL e de Alexandre Frota que pedem a impugnação da candidatura de Lula.

Uma fonte ouvida reservadamente pela reportagem disse acreditar que é uma contradição os pedidos de impugnação de Frota e do MBL terem sido enviados a Admar, enquanto o registro de Lula foi para Barroso.

Na avaliação de dirigentes petistas, a relatoria com Barroso é “péssima”, porque o ministro seria linha-dura e sujeito à influência da opinião pública.