Após prisão de secretário de saúde do DF, deputado cobra CPI contra atos de Ibaneis na pandemia

Após prisão de secretário de saúde do DF, deputado cobra CPI contra atos de Ibaneis na pandemia

Leandro Grass (Rede-DF) encaminhou em julho pedido de instauração de comissão para apurar falta com a transparência na compra de insumos e equipamentos para combater a covid-19

Paulo Roberto Netto

25 de agosto de 2020 | 15h27

Após a prisão do secretário de saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, o deputado distrital Leandro Grass (Rede-DF) cobrou à Câmara Legislativa do Distrito Federal que instaure Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar medidas adotadas pelo governo Ibaneis Rocha (MDB) no combate à pandemia do novo coronavírus. A solicitação foi enviada em julho com o mínimo de assinaturas necessárias, mas a CPI ainda não foi instalada.

Francisco Araújo foi preso nesta terça, 25, na operação Falso Negativo, que mira fortes indícios de superfaturamento na compra de testes para covid-19. Segundo os investigadores, há evidências de que testes adquiridos pela Secretaria de Saúde ‘seriam imprestáveis para a detecção eficiente ou de baixa qualidade’ na detecção do novo coronavírus.

Em memorando enviado ao presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Rafael Prudente (MDB), Leandro Grass afirma que a instauração da CPI ‘é premente, necessária e urgente’.

“É preciso dar respostas à população do Distrito Federal, que sofre com a alta desenfreada de casos de covid-19, mudança de metodologia de contagem que prejudica a transparência dos dados, escassez de remédios e materiais para o controle da pandemia, inexistência e ineficácia de testes, além de eventuais desvios de dinheiro público”, apontou.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Foto: José Cruz/Agência Brasil

O pedido de CPI foi apresentado após a primeira fase da Falso Negativo, aberta em julho para apurar crimes de organização criminosa, fraude em licitação, cartel, lavagem de dinheiro e corrupção passiva e ativa. Segundo o Ministério Público do Distro Federal, os contratos apurados ultrapassam R$ 73 milhões e foram fechados por dispensa de licitação.

COM A PALAVRA, O GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL
A Secretaria Especial de Relações Parlamentares (Serp) informa que, pelo regimento da CLDF, não é possível instaurar uma terceira CPI neste momento. O regimento permite apenas duas. Já existe a CPI do Feminicídio e a CPI das Fake News está em processo de instalação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: