Votação duplicada de vereadores em site do TSE ocorreu por erro na visualização, não na contagem de votos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Votação duplicada de vereadores em site do TSE ocorreu por erro na visualização, não na contagem de votos

Falha teria ocorrido durante atualização do portal, mais de uma semana após encerrada a divulgação do resultado oficial

Pedro Prata

28 de novembro de 2020 | 16h30

Uma falha no site de divulgação dos resultados das eleições 2020, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), motivou desinformação nas redes sociais. Uma semana após a contagem oficial dos votos, o portal mostrava o dobro do número real obtido por candidatos a vereador em três cidades. O próprio TSE afirmou se tratar de erro na divulgação, e não na contabilização, dos votos.

Em 23 de novembro, mais de uma semana após a finalização da contagem, a página oficial que divulga os resultados das eleições passou por um momento de falha durante atualização do TSE. Isso fez com que os resultados de Curitiba (PR), Ilhéus (BA) e Garanhuns (PE) aparecessem com sobreposição de dados, segundo o próprio Tribunal.

Falha em site foi de divulgação, não de contagem; todos os candidatos foram afetados. Foto: Reprodução

“O TSE informou imediatamente a todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) a respeito do caso e fez as atualizações necessárias”, disse o TSE em comunicado. “Houve portanto, momentaneamente, uma sobreposição de dados e não uma duplicação de votos.”

Mesmo após o TSE informar se tratar de erro durante atualização dos sites, a falsa alegação de fraude foi compartilhada ao menos 6,9 mil vezes no Facebook. O boato foi impulsionado principalmente pelo blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, preso por descumprir medidas cautelares proferidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ele é investigado em inquérito que apura a organização e o financiamento de atos antidemocráticos, e está proibido de usar as redes sociais.

O blogueiro fez postagens dizendo que “a candidata Paula Milani apoiada por Bolsonaro em Curitiba teve o dobro dos votos”. Ele ainda volta a dizer que se trata de “fraude”, desconsiderando que todos os candidatos na capital paranaense apareceram com a votação duplicada.

Foram 792.320 votos a candidatos concorrentes no legislativo municipal. Como informou o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), “se todos os candidatos à Câmara Municipal de Curitiba recebessem o dobro do número de votos, o número total de votos concedidos a candidatos concorrentes seria 1.584.640, superando o eleitorado da capital paranaense, que é de 1.349.888 pessoas”.

Após consertar o erro, os votos voltaram ao valor que havia sido auferido no dia da votação, em 15 de novembro. Ao acessar no placar final, é possível confirmar que a última atualização dos dados ocorreu naquela noite, às 23 horas e 20 minutos.

Em Curitiba, foram 792.320 votos a candidatos a vereador concorrentes, 83.465 brancos e 66.682 nulos. Foto: TSE/Reprodução

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.