Sinal da Globo será desligado de TVs da Europa, mas transmissão continua por streaming

Sinal da Globo será desligado de TVs da Europa, mas transmissão continua por streaming

Emissora vai encerrar exibição da Globo Internacional em operadoras de TV paga para investir na plataforma Globoplay

Clarissa Pacheco

04 de dezembro de 2021 | 12h00

Um vídeo que circula no TikTok e no Instagram engana ao dizer que a “Rede Globo deixará a Europa”. Em menos de um minuto, um homem afirma que a Globo não será mais transmitida em 43 países europeus por estar em crise. De fato, o sinal internacional da emissora será desligado de operadoras de TV paga da maior parte do continente no fim do ano. Mas o vídeo não explica que o canal continuará a ser transmitido na Europa, por streaming, na plataforma Globoplay.

No dia 22 de novembro, a Rede Globo informou que o canal internacional será desligado das operadoras de TV europeias no dia 31 de dezembro. A emissora fará o desligamento para investir na Globoplay Internacional, que chegou ao continente em outubro. Dos países europeus, apenas as TVs de Portugal continuarão a receber normalmente o sinal da Globo Internacional.

Na conta oficial da emissora no Instagram há três posts que tratam do assunto. O primeiro foi feito há uma semana, em 22 de novembro: “Fique ligado: 📺 o Canal internacional da Globo será desligado das operadoras de TV na Europa, com exceção de Portugal, em 31 de dezembro de 2021. Os conteúdos Globo ficarão disponíveis apenas no @globoplayinternacional por €9,99”, diz a legenda. Na cotação desta sexta-feira, 3, o valor da assinatura equivale a R$ 63,44.

Rede Globo anunciou desligamento pelo Instagram. Foto: Reprodução/Instagram

O segundo post sobre o assunto foi feito no dia 26 de novembro. Na imagem, aparece a mensagem: “Fique ligado. A partir do dia 31/12, o canal Internacional da Globo será desativado na Europa e estará disponível exclusivamente para os assinantes do Globoplay!”.

Segundo post, em 26 de novembro. Foto: Reprodução/Instagram

O mais recente é desta terça-feira, 1º, e novamente a legenda informa que o canal internacional será desligado na Europa, mas que o assinante Globoplay Internacional terá acesso a “séries exclusivas, novelas, filmes, canais ao vivo e mais”.

Canal Internacional

A história da Globo Internacional começou em agosto de 1999. Dos 77 país onde a emissora tem sinal de TV atualmente, 46 são na Europa. A partir de 1º de janeiro de 2022, contudo, apenas o sinal de Portugal continuará ligado.

Lá, a primeira novela da Globo foi transmitida em 1977 – Gabriela passava no canal RTB (Rádio e Televisão Portuguesa). A partir de 1992, mais novelas passaram a ser transmitidas, até o lançamento do primeiro canal por assinatura da Globo no país, em 2007.

Em nota, a Globo Internacional informou que o desligamento do canal nos operadores de TV paga na Europa, com exceção de Portugal, “faz parte das mudanças que visam a transformar o modelo operacional da companhia, que terá uma atuação com foco no atendimento direto ao consumidor neste território”.

A divisão internacional da emissora afirmou que os pacotes do Globoplay na Europa incluem “a transmissão de sete canais ao vivo, incluindo o canal internacional da Globo, além de mais de 1.000 títulos no catálogo”. Também estão disponíveis “conteúdos originais, novelas, séries, documentários e filmes”.

Audiência da emissora

No vídeo verificado, o autor afirma que a audiência da Rede Globo vem caindo por culpa da própria emissora e lista notícias publicadas em outros veículos sobre supostas ações do governo Bolsonaro que “certamente não passaram na Globo”.

O homem menciona a implantação do Pix, a inflação global, repasses para segurança pública e a capacidade instalada de energia solar no País. Embora nem todos os temas mencionados sejam realmente ações do governo federal, todos os assuntos foram tratados em um ou mais veículos do grupo Globo (1, 2, 3, 4, 5).

De acordo com ranking semanal da Kantar Ibope Media, a audiência da Rede Globo sofreu uma queda considerável no horário nobre na semana entre 8 e 14 de novembro. Nas semanas anteriores, o ranking dos 20 programas com mais audiência na semana tinham entre sete e oito atrações globais, mas o número caiu para quatro na 45ª semana do ano.

Nas semanas seguintes, a audiência teve uma leve alta e, depois, caiu ligeiramente. Mesmo assim, as atrações da emissora ainda são as que têm maior audiência e a pontuação da Globo segue acima das concorrentes.

Globo e Bolsonaro

Desde o início do mandato, o presidente Jair Bolsonaro (PL) faz ataques constantes ao trabalho da imprensa e a veículos de comunicação, inclusive à Rede Globo. No ano passado, circularam peças de desinformação nas quais se afirmava que Bolsonaro iria tirar a Globo do ar no dia 21 de abril de 2020.

O Estadão Verifica mostrou que o presidente da República não tinha, sozinho, o poder de cassar uma concessão pública de rádio ou de TV – segundo a Constituição Federal, cancelamentos deste tipo dependem de uma decisão judicial. A concessão da Rede Globo vence no dia 5 de outubro de 2022 – foi renovada por 15 anos em 5 de outubro de 2007.


Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.