É falso que Brasil tenha maior número do mundo de recuperados da covid-19
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É falso que Brasil tenha maior número do mundo de recuperados da covid-19

Publicação com dados errados sobre número de pessoas que recebeu alta viralizou no Facebook

Alessandra Monnerat

15 de maio de 2020 | 19h44

Não é verdade que o Brasil tenha maior número de recuperados da covid-19 no mundo. Essa alegação falsa foi divulgada em um post no Facebook que ganhou 21 mil compartilhamentos desde o dia 7 de maio. Nesta sexta-feira, 15, o País registrou a marca de 79,4 mil pessoas recuperadas, a sétima maior do mundo. Tanto no total acumulado de infectados pelo novo coronavírus como no total de óbitos causados pela doença, o Brasil é o sexto no mundo. São mais de 212,2 mil casos e 14,4 mil mortos.

Além disso, é importante ressaltar certos países, como o Reino Unido e a Holanda, não contabilizam o número de pessoas que receberam alta. Veja uma tabela com os números dos principais países afetados.

No dia 7 de maio, data da publicação enganosa, o Brasil tinha registrado 55.350 recuperações. Nos Estados Unidos, o número de pessoas que tinha recebido alta era superior a 189 mil. O Estadão Verifica também mostrou que é falso que a taxa de recuperação no País seja a maior do mundo.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), ainda não existe cura para a covid-19.

Foto: Pixabay/@Parentingupstream/Divulgação

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:

fake news [notícia falsa]coronavírus

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: