Pazuello prepara nova MP para vacina

Pazuello prepara nova MP para vacina

Coluna do Estadão

24 de dezembro de 2020 | 05h00

Foto: Erasmo Salomão/MS

O governo federal está elaborando uma nova medida provisória para a compra de vacinas. Desta vez, o foco será na Pfizer. Segundo a Coluna apurou, a ideia é criar segurança jurídica para que o Ministério da Saúde possa comprar as doses, mesmo sem o registro da Anvisa em mãos. O governo discute ainda se o texto incluirá a responsabilização em caso de pedido de indenização. Apesar de o presidente Jair Bolsonaro ter defendido que os vacinados assinem um “termo de responsabilidade”, Eduardo Pazuello, reservadamente, descarta essa opção.

Corre. A Saúde busca concluir o acordo com a farmacêutica ainda em 2020. Na semana passada, o governo já publicou uma MP para compra de vacinas no valor de R$ 20 bilhões.

Calendário. Pazuello quer começar a vacinação com a Pfizer no final de janeiro. Na pior das hipóteses, no início de fevereiro.

Milagre natalino. O ministro foi aconselhado a anunciar as possíveis datas publicamente, de forma clara.

Pouca dose… No ministério, a discussão no momento é, diante da primeira leva de prováveis 500 mil doses da Pfizer em janeiro, quem vacinar primeiro?

…muita fila. A principal hipótese é que sejam idosos de instituições de longa permanência, como asilos. Seria suficiente para imunizar toda essa população e também os seus cuidadores.

Bye? O anúncio do Butantã e do governo de SP de só apresentar os dados de eficácia da Coronavac em 15 dias reforçou o entendimento entre gestores de Saúde e parlamentares que começar a vacinação no Estado no final de janeiro está cada vez mais distante…

A pandemia… Em 25 de abril, Sérgio Moro encerrou seu período no governo federal, após ter deixado para trás 22 anos de magistratura para ser “superministro”.

…em ilustrações. A temperatura, que já estava consideravelmente alta por causa da pandemia, subiu ainda mais quando Moro acusou Jair Bolsonaro de querer interferir pessoalmente na PF. Até hoje, o assunto não foi esclarecido: segue aberto no STF um inquérito para investigar o caso.

SINAIS PARTICULARES.
Sérgio Moro, ex-ministro da Justiça

Ilustração: Kleber Sales

Cada tal… Senadores do MDB defendem que o anúncio de Baleia Rossi (MDB-SP) como o nome de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara não inviabiliza as articulações da sigla por candidato próprio ao comando do Senado.

…com o seu qual. “Uma coisa não tem nada a ver com a outra. No Senado, a escolha será por um critério de proporcionalidade”, disse Eduardo Braga (MDB-AM), um dos pré-candidatos da sigla. O MDB tem a maior bancada na Casa com 13 senadores e mais dois a caminho em janeiro.

Tudo nosso. Reservadamente, senadores do MDB dizem ver a candidatura de Baleia como incerta, em especial diante do racha da oposição. Também não querem ceder a posição ao DEM novamente.

Movimentos. Na semana passada, porém, a Coluna mostrou que deputados demistas defendiam a indicação de Baleia justamente como forma de enfraquecer o MDB no Senado e dar espaço a Rodrigo Pacheco (DEM-MG), patrocinado por Davi Alcolumbre (DEM-AP). A Coluna também mostrou que Baleia se aproximou da esquerda muito por conta de seu pai, Wagner Rossi, que sempre manteve bom diálogo com Lula e Dilma Rousseff.

Em definitivo. Lideranças da região de Bauru (SP) se mobilizaram em ato ontem para pressionar o governo paulista a cumprir promessa feita em outubro deste ano pelo governador João Doria (PSDB). Querem a abertura definitiva do Hospital das Clínicas da cidade, que funciona provisoriamente apenas para atender os casos de covid-19.

CLICK. A prefeita eleita de Bauru (SP), Suéllen Rosim (Patriota), discursa em ato do movimento “HC Já”, que promoveu um abraço simbólico em prol do hospital público.

Coluna do Estadão

Com a palavra. A Secretaria de Estado da Saúde de SP procurou a Coluna nesta quinta-feira, 24, para informar que o funcionamento do hospital está garantido até 31 de março, para atendimento de casos de covid-19. Sobre a continuidade depois disso, a secretaria disse envolve “discussões técnicas (…) que são objeto de análise pelas equipes da pasta”.

PRONTO, FALEI! 

Natália Pasternak, doutora em microbiologia pela USP, especialista em genética molecular e presidente do Instituto Questão de Ciência (IQC) Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Natalia Pasternak, microbiologista da USP: “Desrespeito do governo de SP com a população e lição de como não comunicar ciência”, sobre anúncio da eficácia da Coronavac sem apresentação de dados.

COM REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA (INTERINA) E MARIANA HAUBERT. 

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.