Miranda teria dito que derrubará a República

Miranda teria dito que derrubará a República

Coluna do Estadão

24 de junho de 2021 | 05h00

O tom ameaçador de Onyx Lorenzoni contra Luis Miranda e Luis Ricardo Fernandes é uma resposta em público, segundo a Coluna apurou, ao que ambos estão dizendo em privado, nos bastidores do poder: possuem alto poder de fogo; suficiente, segundo um deles, para explodir o governo. O deputado Miranda (DEM-DF) esteve com Renan Calheiros (MDB-AL) na terça-feira, 22. Enquanto ambos conversavam, entrou na sala Marcos Rogério (DEM). “Você apoia o governo, mas eu vou derrubar a República”, teria dito Miranda ao colega de partido.

Prepare… O deputado Miranda se queixava ao senador de que Fernandes, seu irmão, estava sendo injustiçado. Dizia ainda ter provas para apresentar na sexta-feira, 25, quando deve depor na CPI da Covid, da qual Renan é o relator.

…o seu coração. O tom belicoso de Onyx Lorenzoni em pronunciamento desagradou ao relator. “É uma interferência do Poder Executivo no Legislativo. Vamos pedir convocação do Onyx imediatamente pela interferência e coação da testemunha. Se ele continuar, vamos pedir a prisão dele”, afirmou à Coluna.

Danger. No Planalto, o caso é tratado como prioridade zero. A leitura é de que tem alto poder de abalar o discurso contra a corrupção e os desvios. Por isso, a demissão de Ricardo Salles em dia tão fatídico.

Vixe! As declarações de Luis Miranda, públicas e privadas, reforçaram o sentimento de paranoia e de traição no Planalto: ministros estavam cuspindo fogo contra o ex-aliado.

Soldado. Onyx foi escalado pelo Planalto para contestar Miranda por motivos especiais: tem sido um dos mais leais ministros na defesa de Jair Bolsonaro; ele e Miranda são do mesmo partido, o DEM, o que deixa o recado mais “claro”.

Mapa. Para José Luiz Penna, presidente do PV, a eleição no Peru mostrou que o Brasil precisa achar um nome único na “terceira via”. No vizinho, o centro se dividiu e acabou fora do segundo turno por pouco.

SINAIS PARTICULARES.
José Luiz Penna, presidente do PV

Kleber Sales

Mudou… Para uma parcela do empresariado, a saída de Ricardo Salles foi positiva. A troca, apesar do timing, será boa se seguir a tônica do ocorrido no Ministério da Saúde e de Relações Exteriores.

…pero no mucho. O novo ministro, Joaquim Álvaro Pereira Leite, não é visto como ruptura, mas deve ganhar voto de confiança de líderes empresariais ao menos no início de sua gestão. Ambientalistas, porém, dizem que o potencial de “estrago” do novo ministro é grande.

CLICK. Presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) faz amanhã 52 anos. Tomou a primeira dose da Pfizer em Maceió. “Vamos vencer pior desafio da nossa história”, disse.

Acelera. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-RJ), segundo deputados, está colocando seu peso político para tentar acelerar na Câmara a votação do projeto de regulamentação do transporte rodoviário interestadual no País.

Acelera 2. O conteúdo do projeto, já aprovado no Senado, limita a concorrência, desfavorecendo o compartilhamento de frotas de ônibus, como no modelo da Uber para os carros.

Sem debate? Ligado às tradicionais empresas do setor, Pacheco (e parlamentares) quer a aprovação antes que a opinião pública desperte para o tema.

PRONTO, FALEI!

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Rodrigo Agostinho, deputado (PSB-SP): “Encerrado o desastroso ciclo do pior ministro do Meio Ambiente da história. Estrago inestimável. A história já o puniu. A Justiça haverá de fazer sua parte.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MARIANNA HOLANDA

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.