Ludhmila Hajjar deve ser convidada para assumir Ministério da Saúde no lugar de Pazuello

Ludhmila Hajjar deve ser convidada para assumir Ministério da Saúde no lugar de Pazuello

Alberto Bombig e Marianna Holanda

14 de março de 2021 | 15h44

Foto: Wanessa Soares

A médica cardiologista Ludhmila Hajjar deve ser convidada pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Saúde no lugar de Eduardo Pazuello.

Como a Coluna mostrou no sábado, 14, a cúpula do Congresso iniciou na última sexta-feira uma ofensiva para tirar o general do comando da Saúde com a apresentação de nomes técnicos, gestores, com conhecimento do SUS. 

Ludhmila, que atua na linha de frente da covid-19 nas UTIs dos principais hospitais privados do País, era um dos nomes mais fortes. Outro nome cotado era o do médico Claudio Lottemberg, do conselho do Albert Einstein. Segundo a Coluna apurou, ele já se considera fora da disputa pela Saúde. 

Presidente da Câmara, Arthur Lira levou o nome da cardiologista para Bolsonaro em reunião no sábado. Quando Luiz Henrique Mandetta deixou o cargo, no ano passado, ela foi uma das cotadas para assumir.

A troca no comando da Saúde foi colocada por parlamentares a palacianos como uma forma de segurar a CPI da Covid-19 no Senado. Ministros com assento no Palácio do Planalto entenderam que a pandemia não é “gripezinha” e que o País enfrenta o pior momento da crise. Essa mensagem foi reforçada a Bolsonaro em reuniões durante a semana.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.