Bolsonaro deve deixar de lado polêmica de isolamento social em reunião com governadores

Bolsonaro deve deixar de lado polêmica de isolamento social em reunião com governadores

Coluna do Estadão

21 de maio de 2020 | 05h00

Foto: Alan Santos/Presidência da República

O Planalto quer aproveitar a primeira reunião do presidente com todos os governadores desde o início da pandemia para melhorar o diálogo institucional. A expectativa é que a conversa ocorra sem as hostilidades que pautaram as relações federativas nos últimos meses. Apesar de os governadores temerem que Jair Bolsonaro utilize o projeto de ajuda aos Estados, tema da reunião desta manhã, como forma de pressioná-los a flexibilizar o isolamento, assessores palacianos garantem que polêmicas do combate ao coronavírus não serão abordadas.

Expectativa. Ao menos, é essa a intenção dos bombeiros, que nem sempre conseguem segurar o temperamento de Bolsonaro.

Realidade. Para um interlocutor, Bolsonaro quer mesmo é “a foto”: reunião tranquila com governadores.

Palavra dada. O presidente vai comunicá-los do veto ao reajuste de servidores, a pedido de Paulo Guedes. Ele também estará na reunião.

Speaker. Da parte dos Estados, os governadores escolheram como porta-vozes dois mais “neutros”: Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) e Renato Casagrande (PSB-ES).

Help? Todos vão repetir ao governo federal a mesma demanda de sempre: o pedido por respiradores.

Taokey? “Espero que Bolsonaro esteja em um dia de ponderação, não insista em polêmicas inúteis e busque o diálogo em torno de temas sérios. Abertura da economia depende de cada Estado e já está ocorrendo”, disse Flávio Dino (PCdoB-MA) à Coluna.

Segue… Mesmo na pandemia, o DNIT, vinculado ao ministério da Infraestrutura, conseguiu manter o ritmo dos trabalhos no País – só uma obra no Piauí foi interrompida, a pedido do prefeito da cidade.

… o jogo. De janeiro a abril, o órgão executou R$ 2 bilhões em obras – cerca de R$ 300 mil a mais que no mesmo período de 2019. O departamento era um dos sonhos de consumo do Centrão, mas Tarcísio de Freitas conseguiu “blindá-lo”. Leia mais aqui.

CLICK. O programa Cidade Solidária, em São Paulo, distribuiu nesta semana 5 mil cestas básicas, 500 sacos de ração para animais e 7,5 mil refeições na capital.

Foto: Reprodução/Instagram: @brunocovas

Quem? O ex-galã de Malhação Mário Frias foi levado ao governo com o apoio de membros do Aliança pelo Brasil. O grupo quer, inclusive, emplacar também nomes que possam ajudá-lo a conduzir uma “política cultural conservadora”.

Só dele. A escolha da Secretaria de Cultura passa diretamente pela mão do presidente e Frias já é tido como sucessor de Regina Duarte no Planalto. O ator conta ainda com apoio dos filhos de Bolsonaro. Leia mais aqui.

Vida… Mesmo habituado a grandes repercussões nas redes sociais, o apresentador de TV (também já tido como presidenciável) Luciano Huck ficou impressionado com o alcance de um vídeo no seu Instagram sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes.

… real. Trata-se de trecho do filme Um crime entre nós, fruto de uma parceria com o Instituto Liberta e a Maria Farinha Filmes. Em um dia, atingiu 14 milhões de visualizações. Quando um post dele vai bem, costuma atingir 2 milhões.

Atentos. “A pandemia está mostrando que a sociedade está mesmo a fim de descortinar temas que até hoje pareciam invisíveis e intransponíveis”, afirmou o apresentador. Leia mais aqui.

SINAIS PARTICULARES.
Luciano Huck, apresentador de TV

Ilustração: Kleber Sales

Quem te viu. O Itamaraty disparou para os servidores um convite para participar de seminários sobre “pós-pandemia” da Funag, fundação de pesquisa do ministério. Palestraram dois influenciadores olavistas: Flávio Morgenstern e Bernardo Kuster.

Luz no fim… Uma pesquisa do site de viagens Melhores Destinos com 5 mil leitores identificou que 65,3% deles estão dispostos a voltar a viajar ainda neste ano, a partir de julho ou agosto.

… do túnel. Mas a maioria prefere viajar nacionalmente, deixando para 2021 viagens internacionais. Leia mais aqui.

PRONTO, FALEI!

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Arnaldo Jardim, deputado federal (SP), líder do Cidadania: “E quem é responsável escolhe a ciência para enfrentar uma das mais graves pandemias sobre a humanidade. Uma doença que já tirou a vida de quase 20 mil brasileiros”, ao reagir à fala de Jair Bolsonaro que disse que quem é de direita toma cloroquina, quem é esquerda, Tubaína.

COM REPORTAGEM DE MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA (O EDITOR ALBERTO BOMBIG ESTÁ EM FÉRIAS)

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: