Empresários aceleram busca por via de centro

Empresários aceleram busca por via de centro

Coluna do Estadão

18 de abril de 2021 | 05h00

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente Jair Bolsonaro Foto: Amanda Perobelli/REUTERS e Dida Sampaio/ESTADÃO

Diante do cenário de possível acirramento da polarização Lula versus Jair Bolsonaro, parte do empresariado pisa no acelerador atrás de um candidato único e viável de “centro”. De forma orgânica, representantes dos setores produtivo e financeiro trocam impressões no WhatsApp e agendam conversas por videoconferência com presidenciáveis. Têm pressa por uma definição do nome ainda neste ano. Se a busca fosse resumida em um anúncio de emprego, seria: procura-se candidato motivado, com ideias novas, carisma e, se possível, alguns votos.

Quem. A Coluna conversou com representantes do setor produtivo, financeiro, e lideranças empresariais, especialmente de São Paulo, mas também de outros Estados. Eles participam de grupos de WhatsApp que variam de 10 a 20 pessoas.

Conselheiros. Os empresários conversam ainda sobre o cenário político com dirigentes partidários e políticos experientes, como Fernando Henrique Cardoso, Michel Temer, ACM Neto e Gilberto Kassab.

Lista VIP. Por centro, consideram: governadores João Doria (PSDB-SP) e Eduardo Leite (PSDB-RS), Luiz Henrique Mandetta (ex-ministro da Saúde) e Luciano Huck (apresentador de TV).

Xadrez. Depois de se reunir com Leite, como mostrou a Coluna, Huck estará com o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) na próxima semana. A conversa, claro, será sobre eleições.

Em 2022. No mundo político, diz-se que Marcelo Queiroga (Saúde) está de olho na vaga ao Senado pela Paraíba. Lideranças da região veem “vácuo” deixado por escândalos de corrupção e pela morte de José Maranhão (MDB). Já Cássio Cunha Lima (PSDB) não pretende disputar a vaga.

Natimorto. A OAB acredita que Augusto Aras não terá como escapar da representação que pede abertura do procedimento para investigar o governo por má conduta na pandemia. Mas vê como improvável a apresentação da denúncia…

A palavra. Quando líderes evangélicos dizem a Aras que o apoiam para o STF, o PGR agradece com um pedido: que façam o apoio chegar ao Planalto.

SINAIS PARTICULARES.

Jair Bolsonaro, presidente da República, e Augusto Aras, procurador-geral da República

Kleber Salles

Sentiu. O ex-ministro Eduardo Pazuello disse a interlocutores estar tranquilo quanto à CPI da Covid. Segundo relatos, afirmou: “Se tiver que sair alguém preso, não será eu. Tudo que pude fazer, eu fiz”.

Chumbo. Para aliados do general, a comissão terá três focos: o episódio no Amazonas, tratamento precoce e vacina. Este último, em especial a recusa inicial à Coronavac, é visto como um dos mais delicados.

CLICK. Os ministros João Roma (Cidadania) e Tereza Cristina (Agricultura) discutiram ações conjuntas para a promoção da segurança alimentar dos mais vulneráveis.

Reprodução

Em… Segundo a Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica, laboratórios privados realizaram 3 milhões de testes para o coronavírus em janeiro e fevereiro deste ano, 1,5 milhão por mês. No ano passado, a média mensal foi de 1 milhão.

…massa. A epidemiologista Ethel Maciel atribui o resultado ao aumento de casos no começo do ano. Mas considera que ainda é pouco: “A testagem precisa ser ampliada, preferencialmente em locais de grande circulação e empresas.”

PRONTO, FALEI!

Rodrigo Agostinho. FOTO: REILA MARIA/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Rodrigo Agostinho, deputado federal (PSB-SP): “Qual o nível de credibilidade dessas promessas por quem se vangloria de passar a boiada?”, sobre propostas do governo para a Cúpula dos Líderes sobre o Clima.

COM REPORTAGEM DE MARIANNA HOLANDA (INTERINA) E MARIANA HAUBERT. O COLUNISTA ALBERTO BOMBIG ESTÁ EM FÉRIAS E RETORNA DIA 19 DE ABRIL.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.