Deputados aumentam gastos com publicidade em ano pré-eleitoral

Deputados aumentam gastos com publicidade em ano pré-eleitoral

Alberto Bombig, Camila Turtelli e Matheus Lara

03 de janeiro de 2022 | 05h00

FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Os gastos da Câmara com publicidade saltaram no ano pré-eleitoral. O custo da divulgação da “atividade parlamentar” aumentou 25% de janeiro a novembro de 2021 em comparação com igual período de 2020. Foram distribuídos R$ 53 milhões no ano passado e R$ 42 milhões no ano anterior. A publicidade foi o principal gasto da verba dos parlamentares. Em segundo lugar ficou o aluguel de carros, com R$ 24,9 milhões entre janeiro e novembro. A “divulgação da atividade parlamentar” compreende desde o uso de outdoors até a manutenção de redes sociais (não monetizadas) dos parlamentares, passando pelo uso de panfletos e de publicações de revistas e jornais sobre os mandatos.

MESA FARTA. O gasto com alimentação dos deputados também disparou: aumento de 132% na mesma comparação. Nesse caso, parlamentares colocam a culpa na pandemia, que teria reduzido as visitas aos restaurantes em 2020.

NO TOPO. O PROS foi o partido que mais gastou dinheiro público para a divulgação de atividade parlamentar na Câmara, em termos proporcionais ao tamanho das bancadas.

NO TOPO 2. Os dez deputados do PROS gastaram R$ 1,4 milhão ao longo de 2021 com publicidade, média de R$ 140 mil por cabeça. Atrás dele vem o PDT, com 24 deputados e um gasto total de R$ 3,3 milhões.

GULA. Ou seja, não basta para os deputados operar um orçamento farto em emendas: eles ainda precisam “divulgar” os “feitos” de seus mandatos.

PERAÍ. Daniel Silveira (PSL-RJ) gastou parte da sua cota de divulgação da atividade parlamentar no período em que esteve preso por desrespeitar o uso da tornozeleira eletrônica: foram R$ 20 mil entre outubro e novembro, pagos a uma agência de comunicação, incluído no pacote o serviço de manutenção de redes sociais dele.

PERAÍ 2. Mas, segundo a assessoria do deputado Daniel Silveira, desde que ele foi proibido pelo Supremo de utilizar suas redes sociais, em fevereiro, a comunicação do mandato passou a ser realizada por meio de material impresso.

OK. Durou pouco: o secretário Marco Vinholi, presidente do PSDB-SP, afirma que não pretende ser candidato ao Senado por São Paulo, diferentemente do que seus apoiadores no partido passaram a semana passada inteira dizendo. “Agradeço, mas descarto.”

RETROSPECTIVA. Jair Bolsonaro parece ter trabalhado para tirar a Amazônia do mapa: o desmatamento entre agosto de 2020 e julho de 2021 foi o segundo maior do governo dele e o terceiro maior da série histórica, iniciada em 2015, segundo os dados do Deter.

PINÓQUIO. Em novembro último, Bolsonaro mentiu e disse que a Amazônia, “por ser um floresta úmida”, não pega fogo. A afirmação foi refutada pela comunidade científica.

SINAIS PARTICULARES
Jair Bolsonaro, presidente da República

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES

PRONTO, FALEI!

João Amoêdo. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

João Amoêdo, um dos fundadores do Novo: “Que neste ano façamos escolhas eleitorais conscientes, nos livrando do populismo e nos colocando no caminho da prosperidade”, sobre a queda do poder de compra.

CLICK

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

Arthur Lira, presidente da Câmara
O deputado, com a deputada estadual Cibele Moura (PSDB-AL), participou da Procissão do Bom Jesus, na cidade de Matriz de Camaragibe (AL).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.