Decisão facilita refúgio a venezuelanos no País

Decisão facilita refúgio a venezuelanos no País

Coluna do Estadão

19 de junho de 2019 | 05h00

FOTO: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

O governo brasileiro reconheceu situação de grave e generalizada violação dos direitos humanos na Venezuela, segundo decisão oficial do Comitê Nacional para Refugiados (Conare). Além de ampliar o desgaste de Nicolás Maduro, a medida tem como efeito imediato simplificar e destravar os mais de 99 mil pedidos de refúgio de venezuelanos feitos ao Brasil. “É mais um passo na reafirmação da tradição brasileira de receber e de acolher refugiados, conforme nossa história e nossa tradição”, afirma o coordenador-geral do Conare, Bernardo Laferté.

Express. As entrevistas feitas pelo Conare com os solicitantes poderão ocorrer até em mutirões, atendendo dezenas em um mesmo dia. Hoje, o processo leva em média dois anos.

Aqui, não. O reconhecimento, no entanto, não dispensa o solicitante da análise para descartar envolvimento em grupos paramilitares e quem tenha cometido crimes hediondos, tráfico de drogas e outras restrições previstas em lei.

Lado… O governo Jair Bolsonaro não tem se furtado a marcar posições fortes contra o regime de Nicolás Maduro. Foi um dos primeiros a reconhecer a legitimidade do autodeclarado presidente Juan Guaidó.

…demarcado. No Itamaraty, a avaliação é de que a decisão reforça a necessidade de mudanças urgentes para cessar a evasão em massa do povo venezuelano.

Desvio… Hamilton Mourão foi convidado a participar de um jantar da consultoria Arko Advice, de Murillo de Aragão, nome que o vice defende para a embaixada do Brasil em Washington.

…de rota. Como a promoção de Nestor Forster, candidato da ala ideológica do governo, parece tê-lo aproximado mais de Washington, nos corredores do Itamaraty avalia-se que Aragão pode ser indicado a outra embaixada de peso, como a chinesa.

Sem bypass. Paulo Guedes não se sentiu desautorizado com a demissão de Joaquim Levy. O desconforto de Bolsonaro com o ex-presidente do BNDES era antigo, e o ministro reconheceu que, a pedido seu, Bolsonaro esperou para tomar uma decisão.

SINAIS PARTICULARES
Hamilton Mourão, vice-presidente da República

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Taokei! As emendas propostas pela bancada do PSL para amenizar mudanças na aposentadoria de policiais podem não conter a digital, mas tem o sinal verde de Jair Bolsonaro.

Xá comigo. Bolsonaro entrou no corpo a corpo para que seu decreto das armas permaneça em pé no Congresso. Ligou para senadores tentando virar votos.

Sonho. O empenho presidencial fez sonhar quem espera ver Bolsonaro fazendo o mesmo na fase decisiva do trâmite da reforma da Previdência na Câmara.

CLICK. Em cartilha da campanha contra o assédio nas festas juninas, a ministra Damares Alves reforçará o “não é não” e que bebida não é desculpa para desrespeito.

FOTO: REPRODUÇÃO

Maratona… O ministro Henrique Mandetta vai lançar na já tradicional Campus Party um desafio aos jovens: desenvolverem soluções tecnológicas inovadoras para a Saúde brasileira.

…digital. O Hackathon do Zé Gotinha terá o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da vacinação. Das 19 vacinas que fazem parte do calendário do SUS, só a BCG alcançou a meta de cobertura em 2018. A competição é exclusivamente científica e tecnológica.

PRONTO, FALEI!

Marco Feliciano. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Marco Feliciano, deputado federal (Podemos-SP): “Parece que Bolsonaro compreendeu o que vínhamos dizendo: ninguém, nem o vice-presidente, pode atuar como presidente”, sobre a demissão de Joaquim Levy.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: