Com Bolsonaro e Doria na defensiva, Moro ‘surfa’ no drama da vacina

Com Bolsonaro e Doria na defensiva, Moro ‘surfa’ no drama da vacina

Coluna do Estadão

29 de dezembro de 2020 | 05h00

A entrada de Sérgio Moro na arena do debate em torno da vacinação no Brasil era o que faltava para a politização total da imunização no Brasil. O ataque do ex-ministro a Jair Bolsonaro ocorre justamente quando o presidente se vê acuado e tenta transferir as responsabilidades pela marcha lenta do processo de vacinação no País a terceiros, mais especificamente, aos laboratórios. A “surfada” de Moro no drama da vacinação no País também coincide com o desgaste de João Doria após o episódio da viagem a Miami (EUA) em pleno recrudescimento da pandemia de covid-19.

Foto: Gabriela Biló/Estadão

Tô aqui. O post de Moro no Twitter, que alcançou ampla repercussão, foi interpretado no meio político como sinal de que ele não pretende submergir no debate e ambiciona se manter como player importante rumo a 2022.

Timing. A crítica de Moro teve ainda como gancho o provável início da vacinação na Argentina. “Onde está a vacina para os brasileiros? Tem previsão? Tem presidente em Brasília?”, escreveu Sérgio Moro.

CLICK. Com Paraty (RJ) repleta de turistas neste final de ano, muitos sem dar bola para máscaras, Bolsonaro ganhou homenagem na cidade do grupo “Direita Paraty”.

Foto: Reprodução

Tô aqui 2. Cobrado nas redes sociais, Doria deu uma submergida desde o retorno ao Brasil. Segundo sua assessoria, o governador de São Paulo segue despachando até dia 31 no Palácio dos Bandeirantes, de onde monitorou a chegada de mais 500 mil doses da Coronavac ao Estado.

Mais. Além de despachar com alguns secretários, Doria, de acordo com a assessoria, revisou o cronograma de chegada dos lotes e confirmou para hoje a última remessa de 2020, com mais 1,5 milhão de doses prontas, totalizando cerca de 10,6 milhões de doses em solo brasileiro neste ano.

Jura?! Até agora, Luciano Huck, outro presidenciável sempre lembrado, se limitou a dizer que vai tomar a vacina e recomendar que os brasileiros o imitem.

Retrospectiva em… O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu no início de agosto, um limite divisório entre as Forças Armadas e o governo.

SINAIS PARTICULARES
Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados

Ilustração: Kleber Sales

…ilustrações. “É importante que fique claro que há um muro. Não é algo contra os militares que estão no governo Bolsonaro, mas esse debate vai acontecer, no mínimo, para o próximo governo”, afirmou Maia.

Conta outra. Enquanto alas do PT insistem na  conversa de se dizerem magoadas com o voto de  Baleia Rossi (MDB) pelo impeachment de Dilma Rousseff, petistas negociam fatura política para apoiar publicamente a candidatura dele a presidente da Câmara.

Aperto. Projeto do deputado Heni Ozi Cukier (Novo), aprovado na CCJ, da Alesp, endurece penas administrativas para agentes públicos que cometerem atos de corrupção com recursos destinados à pandemia.

Aperto 2. Além de aplicar multas dez vezes superiores às previstas na lei federal de improbidade administrativa, o agente público condenado poderá ter direitos políticos suspensos.

Fala… O Disque 100 e o Ligue 180, canais de denúncias do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, terminam este 2020 com mais plataformas para a comunicação.

…que eu te escuto. Segundo o ministério, os valores aplicados nos canais em 2020 representam  economia de R$ 29 milhões em relação ao que era gasto até 2019,  resultado da unificação da central de atendimento de ambos.

PRONTO, FALEI!

Foto: Alesp/Divulgação

Paulo Fiorilo, deputado estadual (PT-SP)

“O governador João Doria está tão focado na corrida eleitoral de 2022 que derrapou no combate à pandemia. Muito marketing e zero de eficácia.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.