Brasil ignora acordo proposto por EUA para banir 5G chinês

Brasil ignora acordo proposto por EUA para banir 5G chinês

Coluna do Estadão

13 de janeiro de 2021 | 06h30

Foto: Reuters

O Brasil deixou de atender a um pedido do governo Trump (EUA) ao não assinar o acordo de “redes limpas” para o 5G, que baniria a tecnologia chinesa das telecomunicações por supostamente violarem protocolos de segurança. Ernesto Araújo respondeu a questionamento da Câmara explicitando que o País “não aderiu” ao acordo, mas “expressou apoio aos princípios” dele. Ressaltou que “a definição dos parâmetros” para o leilão do 5G não foi decidida.

Na página oficial em inglês da “Redes Limpas”, o Departamento de Estado dos EUA usa a bandeira do Brasil como se o País tivesse aderido ao protocolo, razão pela qual a Câmara pediu esclarecimentos. Os americanos pressionam pela não utilização de tecnologia chinesa por estarem atrasados no 5G.

O leilão para implementação do 5G no País deve acontecer neste ano. Operadoras se posicionam para que a tecnologia da empresa privada Huawei seja utilizada porque já fornece os equipamentos para o 2G e para o 3G, sem nunca ter havido problema.

LEIA TAMBÉM: Empresários se reúnem com Eduardo Pazuello

Governadores cobram informações sobre quantidade de doses de vacinas

Tudo o que sabemos sobre:

5GChinaEUA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.